Relatório indica que Brusque está mais consciente sobre a preservação da natureza

Fundação Municipal do Meio Ambiente afirma que houve redução dos números em praticamente todas áreas de atuação da entidade

Relatório indica que Brusque está mais consciente sobre a preservação da natureza

Fundação Municipal do Meio Ambiente afirma que houve redução dos números em praticamente todas áreas de atuação da entidade

Brusque está cada dia mais consciente sobre seu papel na preservação da natureza. Esta é uma das conclusões da equipe da Fundação Municipal do Meio Ambiente após a análise do relatório que compara as ações de fiscalização de 2013 com o ano de 2014. Houve redução dos números em praticamente todas as áreas de atuação da entidade e também o registro de maior participação da comunidade nas denúncias.

Durante o período, o setor de fiscalização notou aumento de 18% no número de notificações, que foram de 196 para 232, demonstrando que a população tem se envolvido mais no repasse de informações à Fundema, auxiliando as ações de fiscalização. Houve também um decréscimo na aplicação de multas, com queda de mais de 33%, de 105 para 70, devido ao fato de que os impactos ambientais averiguados não foram tão graves, não cabendo a multa, somente a notificação.

O superintendente da Fundema, Diego Furtado, destaca que é possível verificar um amadurecimento da população e atribui os resultados à existência, atuação e permanência da política de fiscalização e dos trabalhos de educação ambiental realizados no município. “Estamos investindo em diversas ações e projetos educacionais para termos uma sociedade cada vez mais conscientizada sobre sua participação nas ações de preservação da natureza”, acrescenta.

As atividades do setor resultaram ainda em uma expressiva redução nos números de autuações de apreensões e posterior soltura de aves, com menos 58% de casos registrados, passando de 13 para 6. A bióloga da Fundema, Pâmela Felipim da Silva, explica que o número pode representar queda nas denúncias de aves silvestres em cativeiro devido a uma provável redução do hábito na cidade.

Quanto aos tipos de autos de infração emitidos, o único que apresentou aumento foi o de poluição sonora, que passou de 1 para 8. Furtado explica que o valor deve-se principalmente à definição de atribuições repassadas pelo Ministério Público à Fundema, que recentemente passou a ser a entidade responsável pela fiscalização desse tipo de denúncia. Além disso, com o crescimento da cidade e dos conglomerados urbanos, há um aumento natural na produção de ruídos.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio