Sindicatos de Brusque sugerem lei que proíba uso de itens perigosos por malabaristas nas ruas

Sindicalistas apontaram situações em que o uso de fogo quase gerou acidentes na cidade

Sindicatos de Brusque sugerem lei que proíba uso de itens perigosos por malabaristas nas ruas

Sindicalistas apontaram situações em que o uso de fogo quase gerou acidentes na cidade

O Fórum de Entidades Sindicais de Trabalhadores de Brusque e Região vai sugerir à Câmara de Vereadores a criação de lei que proíba as apresentações de malabaristas nos semáforos da cidade.

A ideia foi discutida durante reunião do órgão no início da semana, na sede do Sindicato dos Comerciários de Brusque. Os sindicalistas apontaram casos e situações em que o uso de facões e fogo quase causou acidentes com motoristas, pedestres e motociclistas nestes locais.

O assunto foi debatido também com a presença do vereador Paulo Sestrem (PRP). Segundo ele, o passo inicial é verificar se não há no âmbito do município legislação que abranja a proibição.

“Tenho quase certeza de que a legislação não fala sobre esses tipos de objetos, tanto o malabarismo com facões, bolas, fogo e pinos que podem machucar”.

Na reunião, foram dados exemplos de situações flagradas nos semáforos da área central e que podem ocasionar acidentes com quem passa nestes espaços. Um exemplo foi citado por Mário Dada, presidente do Sindicato dos Bancários.

Segundo ele, um malabarista manuseava um bastão em chamas no Centro de Brusque, acabou perdendo o controle do objeto que quase caiu nos pés de uma motociclista que aguardava o sinal abrir. “E se naquela moto houvesse um vazamento de combustível?”.

Para João Decker, coordenador do Fórum, a proposta pretende contribuir com a segurança dos moradores da cidade. “No passado não existia nada disso. Hoje percebemos que as pessoas fecham os vidros dos carros preocupadas com esses acontecimentos”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio