Sônia Rieg Fischer é a nova presidente da Rede Feminina de Santa Catarina

Ex-presidente da entidade em Brusque estará à frente das ações no estado nos próximos dois anos

Sônia Rieg Fischer é a nova presidente da Rede Feminina de Santa Catarina

Ex-presidente da entidade em Brusque estará à frente das ações no estado nos próximos dois anos

Sônia Maria Rieg Fischer é a nova presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Santa Catarina. É a primeira vez que uma moradora de Brusque, que é guabirubense, assume a função. Na rede estadual, as duas últimas presidentes foram de Itapema e Blumenau e, antes disso, todas que passaram pelo cargo eram de Florianópolis. Sônia tomou posse em gabinete no dia 10 de janeiro e responderá pela entidade durante o biênio 2017-2018.

A indicação para a vaga se deu devido ao trabalho realizado por ela na Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brusque, onde atuou como presidente nos últimos quatro anos. Ela foi eleita por unanimidade, no dia 28 de novembro de 2016, em assembleia no Hotel Baía Norte, em Florianópolis. Além dela, Naildes Francisca Schmitt, também de Guabiruba, e Inalda Lunardelli Zuco, de Brusque, integram a diretoria. A primeira é tesoureira da Diretoria Executiva e a segunda é suplente do Conselho Fiscal.

Sônia planeja realizar diversos projetos à frente da Rede Feminina do estado. Ela destaca que irá manter a entidade autônoma, democrática, independente e transparente e tomar decisões em conjunto nas assembleias. Além disso, ela planeja intensificar as ações de prevenção do câncer de mama e colo do útero e realizar levantamento dos atendimentos e das principais dificuldades de cada rede de Santa Catarina [ver no detalhe].

Para Sônia, ser presidente da entidade é uma grande missão e exige muitas responsabilidades. Ela diz que se sente emocionada e orgulhosa por ter sido indicada, e que trata-se de uma recompensa pelo trabalho feito em Brusque. “Junto com a diretoria me esforçarei para realizar o melhor trabalho. Me orgulho em estar à frente da terceira maior Rede Feminina de Combate ao Câncer do país em número de voluntárias”.

Sônia conta que neste começo de mandato já visitou 11 redes da região Sul do estado e que há dificuldades, porém, em comparação com outras entidades do Brasil, Santa Catarina está bem. Ela afirma que em alguns locais o problema é angariar recursos, em outros as sedes precisam ser ampliadas, ou até mesmo há necessidade de mamógrafos ou de pessoas para auxiliar no trabalho.

Quanto ao relacionamento com a Rede Feminina de Brusque, Sônia garante que estará por perto, apoiando e auxiliando no que for necessário. “A rede de Brusque é a minha segunda casa, tenho uma grande história e carinho por ela”.


Prioridades do mandato

  • Manter a entidade autônoma, democrática, independente e transparente
  • Tomar decisões em conjunto nas assembleias
  • Acompanhar as Redes Femininas de Santa Catarina no que diz respeito à legalidade
  • Promover ações que contribuam na formação e capacitação das redes
  • Dialogar e apoiar ações das redes no estado, participando de projetos em andamento
  • Promover encontros da Rede Feminina na esfera regional e estadual
  • Realizar ações de prevenção do câncer de mama e colo do útero
  • Realizar levantamento dos atendimentos e das principais dificuldades de cada rede do estado

REDE

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio