Tênis em cadeira de rodas: demanda tem, falta quem ensine

Profissionais receberam capacitação da modalidade nos Parajesc

Tênis em cadeira de rodas: demanda tem, falta quem ensine

Profissionais receberam capacitação da modalidade nos Parajesc

As disputas na modalidade de tênis em cadeiras de rodas no Parajesc (Jogos Escolares Paradesportivos de Santa catarina), programada para a Sociedade Esportiva Bandeirante, nesta sexta-feira, 18 de maio, não ocorreram. O motivo: número insuficiente de participantes. E não é por falta de cadeirantes no estado.  

Por conta disso, ainda de manhã, o diretor técnico da Federação Catarinense de Tênis e coordenador  do projeto Tênis em Cadeira de Rodas, Ricardo Pimentel, ministrou um curso pra cerca de 10 profissionais de educação. 

A ideia é trabalhar com cadeirantes a modalidade em suas cidades de origem. Durante a capacitação, o professor explicou como iniciar um treinamento com cadeirantes, parte técnica e de regras, que são praticamente as mesmas. 

– O professor de tênis pode não estar muito familiarizado com movimentação da cadeira e pode ter um pouco de receio em trabalhar com pessoas que tenham alguma deficiência. Agora, quem já trabalha em alguma instituição específica, não tem conhecimento no tênis. Falta capacitar os profissionais para iniciação – explicou Pimentel. 

Os Parajesc encerram neste sábado, 19 de maio, com as disputa da Natação (das 8h30 às 12 horas), na Academia Viva, no bairro Santa Rita. A entrada do público é gratuito. O evento reúne alunos/atletas com limitações física, intelectual, auditiva e visual, de 54 município do estado, de escolas públicas e particulares, entre 12 e 20 anos. 

** Confira a matéria na íntegra na edição impressa do Jornal Município Dia a Dia desta segunda-feira, 21 de maio.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio