TJ-SC nega recurso da prefeitura e manda preservar casarão de Dom Joaquim

Prefeitura tentou suspender o efeito de liminar anterior, que ordenou tombamento

TJ-SC nega recurso da prefeitura e manda preservar casarão de Dom Joaquim

Prefeitura tentou suspender o efeito de liminar anterior, que ordenou tombamento

A desembargadora Denise de Souza Luiz Francoski, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), negou agravo de instrumento apresentado pela Prefeitura de Brusque, que queria evitar o tombamento do Casarão Hort, no bairro Dom Joaquim. A decisão é de 7 de maio.

A prefeitura apresentou o recurso no qual pediu o efeito suspensivo após a Justiça determinar liminarmente que o Casarão Hort fosse tombado dentro de 60 dias. O município argumentou que não existe urgência neste caso.

Veja mais:
Secretaria de Obras inicia demolição de garagem em condomínio da Travessa Dom Joaquim 

Entidades discordam de nome escolhido pela prefeitura para praça do Souza Cruz

Brusque assina termo de cooperação com a prefeitura para utilização do Complexo Chico Wehmuth

 

A prefeitura também alegou que o casarão já consta no catálogo e inventário do patrimônio histórico. Disse também que o imóvel está no Programa Preservar, criado em 2013.

A municipalidade sustentou também que, ao determinar que a prefeitura faça o tombamento, a Justiça feriu o princípio da separação dos poderes. 

Decisão
A desembargadora considerou que a simples inscrição do Casarão Hort na listagem de patrimônio histórico não o protege. Ela afirmou que esse tipo de inventário serve como guia para políticas públicas, contudo, não substitui o efeito prático de um tombamento, porque não impõe restrição à demolição.

A magistrada também lembrou o caso do Casarão Strecker, que fazia parte do Catálogo do Patrimônio Histórico do município, mas acabou demolido.

Denise Francoski negou o recurso da prefeitura, mas sua análise se restringiu a esse pedido. O processo continua a tramitar e seu mérito ainda será analisado pela Justiça.

Veja mais:
Presidente do Hospital Dom Joaquim se reúne com secretário de Saúde do governo do estado

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

Tribunal de Justiça nega recurso a assassino de Bianca Wachholz

Relevância
A União Sul Brasileira da Igreja Adventista do Sétimo Dia pediu o tombamento do Casarão Hort porque foi no imóvel que chegaram as primeiras revistas adventistas ao Brasil, em 1884. A Igreja Adventista apresentou o pedido no Ministério Público em 2016.

O Conselho Municipal do Patrimônio Histórico (Comupa) aprovou o tombamento da edificação em seguida, mas o processo parou por aí. A prefeitura não deu continuidade, até que veio a liminar da Vara da Fazenda no dia 22 de março e ordenou o tombamento em 60 dias.