Rosemari Glatz

Professora da Unifebe

Um conto de Natal em dois capítulos – Parte 2

Rosemari Glatz

Professora da Unifebe

Um conto de Natal em dois capítulos – Parte 2

Rosemari Glatz

Na semana passada, convidamos você para “desligar um pouco” por alguns instantes, deixar de lado as preocupações de adulto e aproveitar o nosso presente para a criança que existe em você: um Conto de Natal! Hoje você vai conhecer a segunda parte do conto, que envolve quatro personagens: os gêmeos Helena e Gabriel que estão passando férias com os avós Carlos e Caterina (carinhosamente chamada de ‘Omi’ pelos netos).

Helena e Gabriel passaram os últimos 30 dias com os avós. Foram inúmeras atividades enquanto a família se preparava para o maior evento do ano: o nascimento de Jesus. Era o último domingo do Advento e na volta da igreja a família parou naa praça tomar um sorvete artesanal. O dia estava lindo, ensolarado e agradável. Crianças se divertiam no playground, brincavam de pega-pega e famílias inteiras passeavam. Aquele era um rico momento de vida em comunidade. Estenderam uma toalha e sentaram à sombra de uma árvore centenária, cujas flores exalavam um leve perfume. Foi quando Helena perguntou:

– Hoje o Pastor falou que o menino Jesus nasceu para nós e que ele é chamado: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Como pode um só menino ter tantos nomes?

O avô Carlos, com sua sabedoria espiritual, explicou:

– O Pastor mencionou um trecho da Bíblia no qual Jesus é identificado por diferentes nomes, e cada um define algumas de suas características. A expressão “Maravilhoso” significa que ele é muito especial; “Conselheiro” significa que quando estamos numa situação difícil podemos chamá-lo pois ele nos aconselha; “Deus Poderoso” significa que não existem limites para o seu poder; “Pai Eterno” significa que antes mesmo de ser gerado, Jesus já preexistia e estava na criação de tudo e “Príncipe da Paz” significa que ele tem autoridade para ordenar a verdadeira paz.

Omi acrescentou: – Jesus também é chamado de Emanuel, que significa Deus conosco.

– Que interessante, disse o pequeno Gabriel. E o que significam os nossos nomes?

A avó respondeu: – Vocês foram gerados com muito amor, e a família toda esperava ansiosa pelo nascimento de vocês, assim como a humanidade ansiou por Jesus. Quando seus pais souberam que teriam gêmeos, decidiram que a mãe escolheria o nome do menino e o pai da menina. A mãe de vocês logo escolheu o nome bíblico do anjo Gabriel , que significa “homem de Deus”, concluiu Omi, olhando amorosamente para o netinho.

– E por que a escolha do meu nome? Perguntou Helena, curiosa.

O avô Carlos tomou a pequena no colo e, fitando-a nos olhos, respondeu: – Cabia ao pai de vocês escolher o teu nome, mas ele estava indeciso. Quando vocês nasceram o dia já começava a amanhecer e um raio de sol iluminava levemente o quarto. Quando ele te tomou nos braços, te olhou a primeira vez e tocou teu cabelinho dourado, decidiu: você seria Helena, que significa luz, aquela que brilha para a vida!

A família estava abraçada quando, ao longe, começou a tocar uma canção natalina. Helena rapidamente se pôs de pé, lembrando aos demais: – Papai e mamãe vão chegar hoje, e nós ainda precisamos enfeitar o pinheirinho!

Puxando os avós pelas mãos e caminhando em direção à casa, Gabriel disse, todo animado: eu quero pendurar as bolinhas coloridas e colocar a estrela na ponta da árvore. O senhor segura a escada, vovô?

– E eu quero colocar a barba de velho, o algodãozinho e o pisca-piscas, completou Helena.

– Combinado! E depois de decorar o pinheirinho, vamos juntos preparar a ceia de Natal, disse Omi.

Carlos e Caterina cruzaram um olhar amoroso, fitaram os netinhos e elevaram o pensamento aos céus, dizendo:

Como é grande o Teu amor. Obrigado, Senhor!

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio