Clientes iludidos por golpistas burlam protocolo de segurança de bancos

Vítimas de golpes, como o bilhete premiado, são enganadas por histórias contadas pelos criminosos

Clientes iludidos por golpistas burlam protocolo de segurança de bancos

Vítimas de golpes, como o bilhete premiado, são enganadas por histórias contadas pelos criminosos

Nos últimos meses, o número de pessoas vítimas de golpes, de todos os tipos, aumentou em Brusque. As principais histórias contadas pelos criminosos são do bilhete premiado e a suposta perda de objeto. Como recompensa pela generosidade, os golpistas pedem um valor em dinheiro como garantia para poderem entregar um prêmio muito maior. A maioria das vítimas escolhidas são idosos.

Por isso, as agências bancárias possuem algumas técnicas para tentar evitar os golpes. Segundo o agente comercial do banco Itaú, José Vitor Kohler, os caixas eletrônicos possuem limites para saques, que variam de R$ 500 a R$ 2 mil. Para saques nos caixas físicos, ou seja, dentro da agência, o limite é de R$ 5 mil. Acima deste valor, é necessário fazer o agendamento com 24 horas de antecedência. “Os cofres da agência não ficam com muito dinheiro durante o dia. Então é preciso programar o saque. E também, é uma segurança para a pessoa que retirará o valor”.

O gerente administrativo da Caixa Econômica Federal, Ademir Luiz Scanagata, explica que as agências bancárias possuem procedimentos padrões. Quando um cliente vai até o local para fazer saque de maior valor, os atendentes são treinados a orientar e questionar o motivo da retirada do dinheiro. “Mas, infelizmente, em muitos casos a pessoa se envolve tanto na história contada pelos golpistas, que acaba mentindo para os atendentes”, diz.

Em alguns casos, Scanagata conta que os golpistas acompanham as vítimas ao caixa para garantir a extorsão. “Eles se passam por parentes, enfermeiros, cuidadores, principalmente quando envolve idosos. Por isso, muitas vezes é difícil combater o golpe, pois não sabemos o que está acontecendo. Se a pessoa relatasse o motivo real, a gente orientaria e protegeria o cliente”.

Para o gerente da Caixa, as pessoas precisam ficar mais atentas às propostas de dinheiro fácil, e os familiares precisam orientar as pessoas mais velhas. “As agências bancárias já diminuíram bastante os valores de saques justamente para proteger o cliente, para evitar os golpes”.

Para garantir que não está caindo em um golpe, a orientação é procurar uma lotérica ou agência da Caixa Econômica Federal para tirar as dúvidas antes de retirar qualquer valor. “Não se deve acreditar na pessoa que afirma que o bilhete está mesmo premiado, pois ela simula uma ligação. É tudo técnica para enganar as vítimas”.

Atitudes suspeitas

A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) pede atenção nas pessoas que ficam por longo período dentro das agências sem realizar qualquer operação. “Se desconfiar de que está sendo observado por suspeitos no interior de uma agência, procurar um funcionário do banco identificado ou um segurança”.

Para saques, a Febraban orienta a, sempre que possível, fazê-los no horário comercial, quando o movimento de pessoas é maior, evitando o período noturno. Evitar também realizar saques de valores altos e ser discreto na hora de conferir o dinheiro. Por fim, frisa para a desconfiança de vantagens financeiras ou dramas familiares que sejam apresentados por desconhecidos na fila do caixa automático. Especialmente, propostas de utilização de sua conta para transferência de valores.

“Não se deve acreditar na pessoa que afirma que o bilhete está premiado, pois ela simula uma ligação. É tudo técnica para enganar as vítimas” – Ademir Luiz Scanagata, gerente administrativo da Caixa Econômica Federal de Brusque

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio