Comunidade Bethânia inicia processo para beatificação do padre Léo

Comunidade pede auxílio dos fiéis que já tiveram graças alcançadas para que apresentem seu testemunho para ser anexado ao processo

Comunidade Bethânia inicia processo para beatificação do padre Léo

Comunidade pede auxílio dos fiéis que já tiveram graças alcançadas para que apresentem seu testemunho para ser anexado ao processo

O arcebispo de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck, autorizou o pedido feito pela Comunidade Bethânia, de São João Batista, para a abertura do processo de beatificação do padre Léo Tarcísio Gonçalves Pereira, fundador da comunidade, que morreu em 2007, após anos lutando contra um câncer no sistema linfático.

A partir de agora, os membros da Comunidade Bethânia começam a reunir documentos e materiais para serem encaminhados ao Vaticano, e servirem de base para a beatificação do padre.

O padre Elinton Costa explica que há muito tempo, a comunidade tem recebido testemunhos de pessoas de todo o país que alcançaram graças por intercessão de padre Léo e que por isso, decidiram dar entrada no processo de beatificação.

“Quem faz o santo é o povo, não nós. Diante de todas essas pessoas, desse movimento grande que tem se formado em torno disso, fomos conversar com Dom Wilson sobre o assunto”.

Segundo ele, o arcebispo foi bastante receptivo e deu apoio à causa. “Dom Wilson disse que não tem dúvidas que o padre Léo para nós é um sinal de santidade pelo jeito que encarou a doença, que viveu sua vida, que pregou a palavra e pela obra que deixou nesse mundo, que é a Bethânia”.

Com a autorização do arcebispo, a comunidade iniciará o contato com o Vaticano para saber que tipo de material é preciso coletar para embasar o pedido de beatificação do padre.

Além da coleta de materiais, a comunidade também precisará ir em busca de um postulador para a beatificação, para só então, abrir o processo formal.

O postulador, de acordo com padre Elinton, pode ser tanto uma pessoa que é do Vaticano, quanto alguém do Brasil, que será o responsável por recolher informações detalhadas sobre a vida do padre Léo e informar-se sobre as razões que favorecem a sua beatificação.

“Agora que vamos iniciar esses passos, ver o que precisa, traduzir algumas obras dele pro italiano”.

Padre Elinton destaca que todo testemunho de graça alcançada por intercessão do padre Léo é bem-vindo no processo, por isso, toda a comunidade católica poderá auxiliar.

“Estamos incentivando as pessoas a mandarem para nós, ou se conhecem alguém que teve graça por intercessão dele, para que nos mandem os materiais para anexar no processo”.

O padre ressalta ainda que o processo de beatificação é bastante caro e que será avaliado sua viabilidade, já que a Comunidade Bethânia vive de doações. “Vamos precisar da oração da comunidade e todo auxílio material para podermos levar esse processo adiante”.

A beatificação
Padre Elinton diz que devido à tecnologia, o processo de beatificação já está mais rápido que antigamente e como padre Léo era midiático, tem muito material com suas pregações disponíveis.

A beatificação é o primeiro dos três passos para se chegar à santidade. No processo de beatificação, o postulante é reconhecido como servo de Deus por sua vida exemplar. Se um milagre é contabilizado, ele passa a ser reconhecido como bem-aventurado. Já para que a pessoa possa ser considerada santa pela Igreja Católica, é necessário a comprovação de três milagres.

Os restos mortais do padre Léo estão no recanto da Comunidade Bethânia, em São João Batista, e podem ser visitados em horário comercial. No caso de peregrinações maiores, é necessário fazer o agendamento.

Sobre padre Léo
Ordenado sacerdote em 1990, padre Léo fundou a Comunidade Bethânia em 1995, em São João Batista, com o objetivo do acolhimento de pessoas marginalizadas, dependentes químicos e prostituídos.

Seu carisma tornou-se amplamente conhecido no Brasil, por meio de sua grande atuação na Renovação Carismática Católica. Foi pregador de multidões, desde o seu tempo de formação presbiteral.

Participou de Cenáculos e vários outros encontros, patrocinados pela Renovação Carismática, que atraiam milhares de pessoas em grandes ginásios e estádios em São Paulo e em outros estados brasileiros. Publicou 27 livros, atuou em programas católicos de televisão na Associação do Senhor Jesus, em Valinhos (SP) e, posteriormente, no Sistema de Comunicação – Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP), onde ganhou fama nacional e internacional.

Após 16 anos de sacerdócio, padre Léo faleceu em 4 de janeiro de 2007, aos 45 anos, vítima de infecção generalizada por causa de um câncer no sistema linfático. Atualmente, a Comunidade Bethânia está presente em oito municípios.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio