Conteúdo exclusivo para assinantes

“Deram à prefeitura o poder de ‘lotear’ as vias públicas”, diz o novo presidente da CDL sobre a regulamentação dos ambulantes

Empresário Fabrício Zen assumirá a gestão da entidade em 2018

“Deram à prefeitura o poder de ‘lotear’ as vias públicas”, diz o novo presidente da CDL sobre a regulamentação dos ambulantes

Empresário Fabrício Zen assumirá a gestão da entidade em 2018

A partir de 2018, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Brusque terá um novo presidente. O empresário Fabrício Zen é quem terá a responsabilidade de conduzir os trabalhos da entidade no biênio 2018/2019.

Zen já foi presidente da CDL de 2009 a 2011 e participa do movimento cedelista há 16 anos. Para o seu novo mandato, o foco é dar sequência aos projetos da CDL e implantar novas ações em prol da classe lojista.

Segundo o presidente, entre as metas da nova gestão estão o fortalecimento da área comercial da CDL, a expansão da CDL Jovem e as parcerias com o poder público para melhorias em prol da classe lojista.

Em entrevista a O Município, Zen também falou sobre a necessidade de modernização da Área Azul, gerida pela entidade, e também sobre o polêmico projeto que regulamenta o comércio ambulante em Brusque, aprovado na quinta-feira, 14, pelos vereadores.

Área Azul
“A Área Azul já é histórica na CDL. Em 1982, a entidade fez a primeira área de estacionamento no Centro e, em 1990, com o presidente Ademir Pereira, foi criada a Área Azul e, desde então, a CDL faz a gestão. O que estamos pleiteando junto aos vereadores é uma melhoria na lei para poder flexibilizar e melhorar mais o sistema. Temos a intenção de incrementar a gestão do estacionamento com novas tecnologias, mas a lei atual não nos permite. Teremos que sentar com o poder público e discutir. Queremos que isso ocorra o mais rápido possível. Em janeiro já queremos nos reunir com o Executivo e Legislativo para que esse projeto entre rápido em votação.

A intenção é que a CDL continue fazendo a gestão da Área Azul, o nosso objetivo é a rotatividade de vagas e temos a preocupação de que se uma empresa terceirizada, que não tenha nenhum vínculo com o município, assuma, não faça o trabalho de controle da rotatividade de vagas com tanta eficácia. Esperamos agilidade do legislativo em relação a aprovação deste projeto”.

Regulamentação dos ambulantes
“A CDL entende que ambulantes são todos, não somente os que vendem alimentos. Não somos contra nenhuma atividade, desde que seja regulamentada. Esse projeto que a prefeitura enviou, da forma que foi enviado, deveria ter alterações. Estive na Câmara acompanhando a votação e pelo que eu percebi, com a aprovação deste projeto, os vereadores que votaram a favor, deram ao Executivo o poder de ‘lotear’ as vias públicas, praças e parques, isso não pode ocorrer.

Acreditamos que as pessoas de bem dentro da prefeitura irão administrar o projeto da melhor forma, mas a CDL é contra este tipo de situação, estamos permitindo que se crie uma possibilidade de isso virar moeda de troca no futuro. A CDL tem que coibir este tipo de atitude.

Somos a favor da regulamentação, e em janeiro, quando iniciarem as reuniões de diretoria, vamos discutir critérios que a CDL pensa que é importante para essa atividade e fazer as sugestões para o Executivo. Da forma que foi encaminhado, a CDL não concorda. A lei tem que ser mais clara, objetiva”.

Retorno à presidência
“Coloquei meu nome à disposição devido à saída do Michel Belli – atual presidente – que vai disputar um cargo na eleição 2018. Como a entidade é apartidária, coloquei meu nome à disposição e a diretoria aceitou. Estou bem contente em voltar e teremos desafios grandes pela frente”.

Trabalho da prefeitura
“A CDL sempre é parceira do poder público, independente de quem esteja a frente do Executivo. Exemplo disso é o Natal, em que montamos a Casa do Papai Noel em parceria. O que é bom, vamos apoiar, mas questões como essa dos ambulantes, vamos sugerir mudanças.

Nos últimos anos, com as mudanças de prefeitos, quem perdeu foi a cidade. A nova gestão já está há um ano a frente do Executivo e teve bastante tempo para entender o processo e atender as demandas. A CDL, como entidade de classe, vai procurar sempre apoiar os bons projetos e cobrar o que deve ser cobrado”.

Avaliação da Câmara
“Temos muitos vereadores de primeiro mandato. Sabemos que quem está há mais tempo na Casa tem mais conhecimento, sabe lidar mais com as situações. Mas temos vereadores que querem fazer um bom trabalho, não vou citar nomes, mas percebemos que temos pessoas que querem e estão pensando em Brusque lá na frente.

Existe situação e oposição. No meu entendimento, essa questão política, partidária, tem que ser diferente, só que essa mudança de modelo, de postura, de gestão, é gradativa. Alguns novos vereadores estão tendo essa postura e isso é importante porque o Brasil precisa disso. A longo prazo, passo a passo, podemos melhorar”.

Bandeiras da CDL em 2018
“Vamos incrementar a nossa área comercial, a questão de serviços. Foi implantado neste ano a certificação digital pessoa física/jurídica, o cartão de benefícios. Vamos enfatizar mais um trabalho junto ao associado, de pós-venda, prospectando melhor o serviço junto ao associado e trazendo mais convênios para dar um suporte melhor ao nosso associado. Já estamos com mais de 800 associados e precisamos desse contato contínuo.

Também queremos fortalecer a CDL Jovem. Na época em que eu fui presidente, em 2010, fundamos a CDL Jovem e agora temos que resgatar. Somos em 10 membros integrantes, então temos esse desafio. Brusque é uma cidade que cresce, tem muitos empreendedores e queremos trazê-los ao associativismo”.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio