Grêmio vence e clássico carioca termina empatado na Copa do Brasil

Tricolor venceu Cruzeiro por 1 a 0 enquanto Flamengo e Botafogo não marcaram na partida semifinal

Grêmio vence e clássico carioca termina empatado na Copa do Brasil

Tricolor venceu Cruzeiro por 1 a 0 enquanto Flamengo e Botafogo não marcaram na partida semifinal

 

Após cerca de 180 minutos de jogo entre as duas partidas de ida das semifinais da Copa do Brasil, apenas um gol foi registrado. Barrios foi o único responsável pela rede balançar na noite de quarta-feira, comandando a vitória magra do tricolor para cima do Cruzeiro.

Já no clássico carioca, a dupla Flamengo e Botafogo não saiu do zero, mas se faltaram gols sobraram polêmicas. Com duas expulsões em campo, os times tiveram dificuldade para definir as jogadas no Nilton Santos.

Tricolor na frente
O Grêmio começou a partida como já é de praxe em seus domínios: a 220 volts. Fábio era o grande vilão do tricolor, com grandes defesas. Aos 13 minutos, Barrios cabeceou bola na área e o goleiro cruzeirense caprichou no tapa. A Raposa, aliás, foi chutar a primeira bola a gol somente aos 27 minutos do primeiro tempo.

Mas o duelo entre Barrios e Fábio foi vencido pelo argentino aos 45 minutos de jogo. Pedro Rocha recebeu pela esquerda e tocou para Luan, o camisa 7 chutou direto, Fábio espalmou e Barrios só teve o trabalho de empurrar o rebote para as redes. Pouco depois foi sinalizado o fim de primeiro tempo.

O time mineiro só cresceu mesmo na segunda etapa. Aos 2 minutos, Marcelo Grohe salvou lindo chute de Diogo Barboso e ajudou a manter o placar favorável ao tricolor. Aos 6, ele voltou a defender um chute fraco de Thiago Neves.

Mano Menezes e Renato Gaúcho promoveram mudanças, mas que não surtiram muito efeito. Já aos 48 minutos, Grohe precisou novamente salvar a pele gremista. Raniel avançou na raça pela grande área e arriscou o chute, mas o goleiro fez ótima defesa antes do último apito da partida.

Sem gols, com polêmica

Fla e Bota tiveram atletas expulsos no segundo tempo. Foto: Gilvan de Souza / CRF

No primeiro tempo, o protagonista foi o Botafogo. Embora as duas equipes tenham começado a partida estudando um ao outro e com o pé no freio, os donos da casa se sentiram à vontade, principalmente com a massa alvinegra ajudando a empurrar os 11 jogadores em campo.

A melhor chegada do Bota foi ao 26 minutos. Bruno Silva, que vive boa fase, se livrou de Renê e cruzou dentro da área, mas Muralha interceptou antes da chegada de Roger. O volante também arriscou um voleio no minuto seguinte, mas não obteve sucesso. O Fla foi assustar somente aos 44, com chute de Berrío defendido por Gatito, mas o lance já havia sido anulado porque o assistente assinalou saída de bola. Na sequência, o árbitro apitou fim de primeiro tempo.
O clássico pegou fogo mesmo no segundo tempo. Diego colocou pimenta na partida aos 11 minutos ao acertar bola no travessão em cobrança de falta. Porém, a partir dos 20 minutos da etapa final, o clima começou a esquentar, com as duas equipes se estranhando muito.

Aos 33 minutos, o caldeirão de emoções borbulhou. Joel Carli, do Botafogo, foi expulso por chegada em Muralha. O goleiro levantou a perna para disputar a bola com o atleta, e os dois foram expulsos. A partir daí, as duas equipes evitaram se expor e administraram o empate sem gols até o fim.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio