Greve do TJ-SC continua com mais de 70% de adesão

Nesta semana, Sinjusc irá analisar contraproposta do TJ-SC que poderá acabar com paralisação

Greve do TJ-SC continua com mais de 70% de adesão

Nesta semana, Sinjusc irá analisar contraproposta do TJ-SC que poderá acabar com paralisação

A greve dos servidores do Judiciário já completou dez dias e até agora não houve acordo entre o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Santa Catarina (Sinjusc) e o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC). Em Brusque, a categoria permanece mobilizada, com mais de 70% de adesão à paralisação, segundo André Staack, fiscal de justiça e representante dos grevistas. “A adesão continua constante e tende a aumentar, porque tem gente voltando de férias agora”.

Apesar de não haver acordo, as negociações avançaram. Quando o movimento iniciou, o presidente do TJ-SC, Nelson Martins Schaefer, disse que a greve impedia a continuidade das negociações. No entanto, na semana passada o tribunal mudou de postura e elegeu uma comissão para negociar com os servidores.

Já na quinta-feira, 16, houve o primeiro encontro deste grupo do TJ-SC com os grevistas. Segundo Staack, que além de encabeçar o movimento em Brusque também faz parte do comando regional, o tribunal apresentou a mesma proposta de antes, por isso não houve acordo.

Na sexta-feira, 17, novamente o comando de greve os desembargadores se reuniram. Desta vez, os representantes do TJ-SC trouxeram uma nova contraproposta. Ofereceram reajuste de 6,5% e outro de 1,6%, totalizando 8,1%, para a implantação nas folhas de maio e junho. Além disso, também propuseram aumento de 16% no vale-alimentação e conclusão dos estudos do Novo Plano de Cargos e Salários (NPCS) para encaminhamento ao Conselho de Gestão do poder Judiciário em 45 dias.

O Sinjusc pede o aumento de 16% nos salários, porque alega que nos últimos quatro anos não houve ganho real nas remunerações, e também que o NPCS seja enviado à Assembleia Legislativa, não o Conselho de Gestão, em 30 dias. Além disso, pede a antecipação da data-base para abril.
Arrecadação

O discurso do desembargador Cláudio Valdyr Helfenstein, que conduziu a reunião com os sindicalistas, foi o mesmo do início da greve. O TJ-SC afirma que a queda na arrecadação não lhe permite conceder maiores aumentos, sob o risco de infringir a Lei de Responsabilidade Fiscal. “A proposta atende aos contornos da responsabilidade fiscal e orçamentária, sobretudo quando acarreta um acréscimo de R$ 40 milhões na folha, ainda neste exercício, e de mais R$ 50 milhões para 2016”, diz o desembargador Halfenstein.
O Sinjusc disse que irá se reunir nesta semana para discutir a contraproposta. Enquanto isso, greve continua por tempo indeterminado em todo o estado.
Atendimento

Enquanto a greve continua, somente os serviços que influenciam na saúde, segurança e liberdade do cidadão estão sendo realizados, por exemplo, alvarás de soltura. Além disso, as audiências que estavam marcadas serão realizadas normalmente

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio