Iniciativa busca evitar realização de grandes eventos no mesmo dia, em Brusque e região

Núcleo de Turismo da Acibr quer criar um calendário oficial de eventos para região

Iniciativa busca evitar realização de grandes eventos no mesmo dia, em Brusque e região

Núcleo de Turismo da Acibr quer criar um calendário oficial de eventos para região

Em uma cidade com mais de 120 mil habitantes, é complicado organizar o calendário de eventos que ocorrem no município. No fim de semana dos dias 23 e 24 de julho, por exemplo, foram realizados em Brusque três eventos de grande potencial: o show do Expresso Rural, na Sociedade Beneficente; a Festa dos Motoristas, na paróquia Santa Catarina, em Dom Joaquim; e a Festa Regional do Colono, no pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof.

Leia também: Policiais de Brusque, Guabiruba e Botuverá são promovidos em formatura

A coincidência de eventos num só fim de semana é um desafio que está começando a ser enfrentado pelo recém-criado Núcleo de Turismo da Associação Empresarial de Brusque (Acibr). A coordenadora Roselaine Erthal diz que a entidade planeja criar um calendário unificado de eventos que ocorrem em Brusque, Guabiruba, Botuverá e Nova Trento.

A intenção das empresas de turismo da entidade é que os cidadãos tenham acesso ao calendário e possam se programar com antecedência para grandes atrações. Outro objetivo, com a iniciativa, é aumentar o acesso à informação para os empresários.

Rose diz que muitas pessoas que realizam shows e festas em Brusque são de fora e não conhecem toda a realidade do município. Uma vez que exista o calendário unificado, o empresário poderá escolher a melhor data para o seu evento.

Isto é benéfico tanto para o empresário quanto para o público. Para o promotor do evento, significa que o seu público-alvo não será dividido com outras atrações. Para as pessoas, significa que elas terão mais opções de lazer ao longo do mês.

Apesar de importante, a inciativa ainda engatinha e esbarra na pouca comunicação entre o empresariado do setor de eventos do município, o poder público e as igrejas. Rose diz que é bastante difícil conseguir angariar todas as informações sobre o calendário das prefeituras da região.
Segundo ela, as administrações municipais não sabem nem sequer informar o que será feito para o Natal deste ano, tampouco para o futuro. No entanto, o núcleo está fazendo reuniões e tentando mudar esta cultura para, dentro de dois anos, colocar em prática o calendário regional de eventos.
Sem ligação entre si

O caso do fim de semana de 23 e 24 de julho explica bem como funcionam os eventos na cidade. Há aqueles que acontecem no pavilhão, que é de propriedade da prefeitura, como a Festa Regional do Colono. A agenda do espaço é gerida pela Secretaria de Turismo.
Também existem os eventos privados, como o Expresso Rural, que são realizados em qualquer lugar e não precisam ser divulgados pela prefeitura. A terceira categoria são as festas de igreja, que seguem um calendário anual preestabelecido pelas paróquias.
Estas três partes – igreja, prefeitura e iniciativa privada – não costumam dialogar entre si, daí a dificuldade em organizar um calendário unitário. o secretário de Turismo, Rolf Kaestner, diz que a prefeitura não tem ingerência para mudar datas de eventos privados ou religiosos.
No que se refere ao pavilhão, ele diz que o poder público poderá avaliar melhor, no futuro, uma data para a Festa Regional do Colono. O evento é de responsabilidade de empresários, mas a administração municipal pode orientá-los sobre a melhor época para promovê-lo.
Segundo Kaestner, é normal os empresários buscarem a secretaria e pedir indicações de datas e locais para os shows. Na medida do possível, a prefeitura tenta encaixar as atrações da melhor forma, diz o secretário.
Para o secretário de Turismo, é importante melhorar ao máximo o setor de eventos, pois este é o principal atrativo turístico de Brusque, uma vez que a cidade não tem praias ou montanhas.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio