Investigação de acidente que causou morte no Mont Serrat está em fase final

Motorista envolvido na colisão alega ter sofrido mal súbito; delegado refuta hipótese

  • Por Miriany Farias
  • 6:30
  • Atualizado às 14:18

Investigação de acidente que causou morte no Mont Serrat está em fase final

Motorista envolvido na colisão alega ter sofrido mal súbito; delegado refuta hipótese

  • Por Miriany Farias
  • 6:30
  • Atualizado às 14:18
  • +A-A

O delegado de Polícia Civil, Leandro Sales, está na fase final da apuração sobre o acidente que matou a jovem Fernanda Felício, 21 anos, na segunda-feira, 8, na rodovia Antônio Heil, no Mont Serrat.

Durante as investigações, a polícia utilizou as imagens de câmeras de monitoramento para entender como aconteceu a colisão. O inquérito policial deverá indiciar o motorista do Kia Cerato, Leoberto Verwiebe Junior, 27, por dois crimes: homicídio culposo – quando não tem a intenção de matar – na direção de veículo e lesão corporal.

Leia também: Policial civil de Itajaí é acusado de fazer ameaças com arma em festa de Brusque

Verwiebe Junior foi ouvido pelo delegado e confirmou que colidiu o veículo ao sair da pista. “Ele alega que teve um mal súbito, um apagão ao volante e atribui a isso à causa do acidente”, conta o delegado.

Entretanto, o motorista não apresentou nenhum comprovante ou exame médico que comprovasse alguma doença ou mal estar. “É uma alegação vaga que não considerei séria o bastante para tirar a responsabilidade dele. Ele atribui ao mal súbito, mas foi socorrido consciente. Então essa tese de defesa não foi considerada”, informa Sales.

O delegado aguarda agora o resultado do laudo pericial do Instituto Geral de Perícias (IGP) para concluir o inquérito, que está praticamente finalizado.

Para Sales, não restam dúvidas quanto ao indiciamento por homicídio culposo em relação a Verwiebe Junior. No entanto, ainda é necessário a manifestação da outra vítima, Paulo Henrique de Souza, 24 (namorado de Fernanda, que estava no mesmo carro que ela), que continua internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), em recuperação clínica, no Hospital Azambuja.

“Precisamos esperar pela evolução do estado de saúde para podermos ouvi-lo, mesmo sendo na casa dele ou hospital, pois depende da representação dele para prosseguir as investigações e podermos definir se ocorreu também o crime de lesão corporal ou algo mais grave”, diz o delegado.

Segundo o delegado, os familiares de Souza acreditam que o jovem irá ingressar com ação penal. Por isso, deverão aguardar até a próxima semana para dar sequência ao procedimento. “Até o momento, pelo que temos com as imagens dos vídeos, é possível assegurar a culpa do autor”, garante Sales.

Leia também: Policial civil de Itajaí é acusado de fazer ameaças com arma em festa de Brusque

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio