Ministério da Saúde firma acordos para redução de sal nos alimentos industrializados

O consumo em excesso causa hipertensão, aumento da pressão arterial, que pode levar a problemas cardíacos

Ministério da Saúde firma acordos para redução de sal nos alimentos industrializados

O consumo em excesso causa hipertensão, aumento da pressão arterial, que pode levar a problemas cardíacos

O Ministério da Saúde firmou nesta terça-feira, 5 de novembro, com a Associação Brasileira de Indústrias de Alimentação (Abia) o quarto pacto para a redução de sódio nos alimentos industrializados. O objetivo é diminuir o alto índice de consumo de sal no país, que acarreta em doenças crônicas como hipertensão e doenças cardíacas. 

A medida foi efetuada pela primeira vez em 2011, em que reduziram o teor de sódio em 16 categorias de alimentos processados, como massas instantâneas e pães. No ano seguinte, 2012, o termo previa a redução de sódio em temperos, caldos, cereais matinais e margarinas vegetais. 

A nutricionista da Secretaria de Saúde de Guabiruba,  Elisa Cristina Vidotto Brunz, explica que o consumo excessivo de sal é um hábito brasileiro. “Todos os alimentos já possui concentração de sal, mas acrescentamos mais sal ainda. O consumo em excesso causa hipertensão, aumento da pressão arterial, que pode levar a problemas cardíacos também”, ressalta Elisa. 

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) comprovam que o consumo do brasileiro está em 12 gramas diários. Porém, Elisa destaca que o recomentando é cinco gramas diárias para pessoas sem problemas de hipertensão e para os hipertensos o recomentado é duas gramas diárias.

>> Confira reportagem completa do Jornal Município Dia a Dia de quarta-feira, 6 de novembro

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio