Nova Trento celebra 125 anos com perspectivas de crescimento no turismo religioso

Santuário Santa Paulina transformou o município no segundo maior polo religioso do país

Nova Trento celebra 125 anos com perspectivas de crescimento no turismo religioso

Santuário Santa Paulina transformou o município no segundo maior polo religioso do país

Com pouco mais de 13 mil habitantes, a pacata Nova Trento, de belezas naturais exuberantes e povo ordeiro, celebra hoje 125 anos de emancipação político-administrativa. O município, que carrega fortes traços da colonização italiana, é referência no turismo religioso do Brasil, sendo por lei considerada a Capital Catarinense do segmento.

O Santuário Santa Paulina – o segundo maior polo religioso do país -, e o Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro, são atualmente os principais responsáveis pelos mais de 70 mil visitantes mensais que passam pela cidade, e consequentemente movimentam a economia neotrentina.

Hoje, o turismo ainda não é a principal fonte de renda do município, porém, se configura como uma das mais importantes, ao lado da indústria calçadista e têxtil e da agricultura. Conforme o prefeito Gian Francesco Voltolini, o setor turístico, está entre a terceira e quarta fonte de renda, pois há muita informalidade.

Ele diz que a prefeitura tem trabalhado com afinco para mudar este cenário, além de buscar mecanismos para diversificar o turismo. Hoje, os visitantes não têm o hábito de pernoitar na cidade, permanecendo apenas algumas horas.

Nova Trento passou a ser conhecida nacionalmente pelo turismo religioso/ Prefeitura de Nova Trento/Divulgação

Consórcio intermunicipal
“Geralmente o nosso turista fica apenas durante o dia na cidade. Vem para conhecer os santuários, almoça em algum local e vai embora. Nosso objetivo é que usufruam da nossa rede hoteleira e também vejam que temos potencial turístico em outras áreas”, afirma Voltolini, que destaca a criação de um consórcio intermunicipal que será denominado “região do Vale Sagrado”.

A intenção da administração é que por meio da união das cidades (Nova Trento, Brusque, Major Gercino, Tijucas, Angelina, Canelinha e São João Batista) criem um roteiro turístico regional, e de maneira integrada, elaborem projetos de fomentação de todos os municípios.

“O consórcio ajudará a diversificar o turismo e fazer com que os visitantes possam ficar mais tempo, pelo menos uma semana, em toda a região”, diz o prefeito. “Envolvendo todos os municípios, trabalhando na divulgação turística e com equipes técnicas, faremos ações a longo prazo que trarão mais turistas, tanto para Nova Trento, como para Brusque, São João Batista, enfim, todas as cidades”, analisa.

Após a assinatura do protocolo, que neste momento depende apenas de Brusque, também será feito um mapeamento mais preciso, que diagnosticará o perfil de cada turista que chegar no Vale Sagrado.

Além do consórcio, o trabalho de conscientização da informalidade é um dos viés da atual administração. Hoje, o cadastramento do setor hoteleiro não é totalmente formalizado – muitos não possuem notas fiscais eletrônicas -, bem como o comércio nos santuários aos poucos estão sendo legalizados.

Diversidade
O turismo em Nova Trento de fato começou a ganhar força na década de 1980, por meio da gastronomia. Por ser terra de italianos e saber que “se come bem”, muitos visitantes passaram a aproveitar os fins de semana para almoçar em restaurantes da cidade e se alimentar de polenta com galinha e massas.

Após isso, a canonização de Santa Paulina, em 2002, deu mais evidência ao município, colocando-o em um patamar de reconhecimento nacional. A partir de então, houve mais procura pela gastronomia e hotelaria, e hoje, o que se busca é mostrar que a cidade também tem outros segmentos de turismo, como por exemplo, o ecoturismo, aventura e rural.

União do trade
Criada em abril de 2003, a Associação Neotrentina do Turismo (Neotur) é a principal entidade do município no fomento do turismo. Junto com o poder público e com cerca de 40 empresas associadas, principalmente do segmento de gastronomia e hotelaria, a Neotur realiza diversas ações para atrair turistas, e inclusive, uma destas, é a diversificação do turismo.

Cursos sobre manipulação de alimentos, preparação de vinhos e cervejas estão na lista das atividades, que são realizadas mensalmente. Também ocorrem frequentemente palestras e capacitações com os colaboradores do trade turístico, conforme explicam o presidente Agostinho José Orsi e o tesoureiro André Orsi, pai e filho, respectivamente, que também são administradores do Museu da Cultura Italiana.

Eles avaliam que nestes 14 anos de trabalho o que mais se destaca é a união dos empresários, preponderante para alavancar o setor. “Todos são bem unidos, participam das reuniões, discutem os problemas”, diz André, que completa: “São pequenas ações, desde a limpeza da rua e a decoração de uma praça, que deixam a cidade mais bonita”.

Assim como o poder público, André afirma que uma das maiores metas da Neotur é difundir outros nichos turísticos da cidade. “É preciso diversificar e mostrar aos turistas que em Nova Trento não existe somente o turismo religioso, há o de aventura e o cultural, que ganham cada vez mais evidência”.

Santuário Santa Paulina

Santuário de Santa Paulina recebe cerca de 70 mil visitantes por mês/ Prefeitura de Nova Trento/Divulgação

Perdendo apenas para o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo, o Santuário Santa Paulina é a segunda maior instância de turismo religioso do país. Em média, passam pelo local mais de 70 mil visitantes por mês, vindos de todo o Brasil e de outros países.

A irmã Anna Tomelin, diretora do local, conta que o principal público vem de Santa Catarina, mas também há turistas do Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Bahia, Espírito Santo, Piauí, Recife, Amazonas, além de paraguaios, bolivianos e argentinos.

Os visitantes vêm basicamente de duas maneiras: por meio de grupos organizados – as peregrinações -, ou com veículo próprio. A fé é o principal motivo para que o santuário receba tantos fiéis, na visão da irmã Anna, já que há muitas celebrações, atendimentos, bençãos e confissões.

Ela destaca alguns lugares que são encontrados dentro do complexo, como a Casa das Graças, moinhos, calvário, casebres, o cenário que mostra a história de Santa Paulina, entre outros. “Sempre falo que um dia inteiro dá para conhecer cada espaço, há muitas atrações. E também tem o centro comercial, com mais de 62 lojas e vários quiosques”, afirma a diretora, que completa: “O foco é a parte espiritual, a fé do povo, que vem para pagar promessas e fazer pedidos”.

O trabalho de uma grande equipe do santuário, atrelado às parcerias com a Neotur e a prefeitura, são as principais responsáveis para que o local se transformasse neste grande centro religioso que é hoje. A irmã Anna observa que Vígolo era um bairro pobre de Nova Trento, é que por meio de Santa Paulina se desenvolveu e cresceu.

“O santuário deu muita visibilidade para Nova Trento, desenvolveu as vinícolas de Vígolo, a gastronomia da cidade, gerou postos de trabalho. Pela fé e por ser um espaço bonito, tem contribuído ao longo destes anos para o crescimento do município e também de toda a região”.

A diretora lembra que no início havia pouca infraestrutura e que a canonização de Santa Paulina, em 2002, deu um grande impulso para um turismo, que poderia ser “temporário” mas tornou-se permanente.

Além disso, a inauguração do templo do santuário, em 2006, fez com que o fluxo de turistas aumentasse, processo que continua cada vez mais intenso hoje. “O ano inteiro temos peregrinos que visitam o santuário e agora estamos recebendo muitas peregrinações, a exemplo do que é feito pelos fiéis do Caminho de Santiago de Compostela”.

A última que o santuário recebeu foi de cerca de 35 peregrinos que saíram de São Leopoldo (RS) e durante 20 dias caminharam mais de 500 quilômetros.”É uma demonstração de fé enorme, pessoas que chegam com calos nos pés”, conta a irmã Anna.

Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro

Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro também atrai centenas de fiéis por dia/ Prefeitura de Nova Trento/Divulgação

Um lugar convidativo à oração e meditação. Assim pode ser definido o Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro, que nos seus mais de 500 metros de altitude, no Centro de Nova Trento, acolhe turistas que buscam pela espiritualidade.

A estátua de Nossa Senhora, que veio da França, foi erguida ao monumento do Morro da Cruz em 1912. Porém, o local que passou a ser difundido mais intensamente há menos tempo, muito por conta da Santa Paulina, recebe visitantes de vários locais do país e da Itália. Em cerimônias religiosas tradicionais, como a festa do santuário no primeiro domingo de maio, mais de 500 pessoas passam por dia pelas instalações, que reúnem além da igreja, restaurantes e salão de eventos

O coordenador do santuário, Moacir Facchini, afirma que a beleza natural do local é um grande atrativo, além da devoção dos fiéis, que são fortemente ligados à religiosidade. “É um espaço para as pessoas se sentirem melhores, propício para rezar, meditar e confraternizar”.

Dados turísticos de Nova Trento

*70 mil visitantes por mês, em média

*Mais de 800 mil por ano, em média

*Média de gasto de visitante por dia: R$ 70

*Setor hoteleiro é um dos maiores da região – cerca de 700 leitos

Origem dos visitantes
Santa Catarina
Paraná
Rio Grande do Sul
Países do Mercosul

Principais meios de transporte: ônibus, excursões

Fonte: Secretaria de Turismo de Nova Trento. Não há um levantamento oficial dos dados.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio