Conteúdo exclusivo para assinantes

Obra do Observatório Astronômico de Brusque está abandonada há quase dez anos

Gestão de Jonas Paegle ainda não tem um planejamento para o local

Obra do Observatório Astronômico de Brusque está abandonada há quase dez anos

Gestão de Jonas Paegle ainda não tem um planejamento para o local

Planejado para ser um dos mais completos centros de astronomia do Brasil, as obras do Observatório Astronômico e Planetário de Brusque, que tiveram início em 2007, no Mont Serrat, completaram dez anos de abandono.

Em uma década, foram muitas polêmicas envolvendo a obra, que está parada desde 2008. A principal delas, é que a gestão de Paulo Eccel, quando assumiu o governo, em 2009, alegou que Ciro Roza, prefeito anterior, recebeu recursos para fazer a obra, não a concluiu, mas esta foi dada como pronta. Roza, entretanto, nega veementemente as acusações.

Ao longo desses dez anos, a Prefeitura de Brusque tentou retomar a construção do Observatório Astronômico apresentando projeto para os governos estadual e federal, entretanto, não houve liberação de recursos.

A tentativa mais recente foi no começo do ano passado, na gestão interina de Roberto Prudêncio Neto, que buscou R$ 6 milhões no governo federal para a construção de um Centro de Astronomia e Ciências Naturais, no mesmo lugar das ruínas do observatório astronômico.

Local, que tem uma das mais belas vistas de Brusque, está com lixo acumulado e mato | Foto: Ciro Groh/Especial

Já a gestão de Jonas Paegle, por enquanto, não tem um planejamento para o local. Como o caso está na Vara da Fazenda Pública, onde Roza responde a uma ação de improbidade administrativa proposta pela gestão Eccel, o vice-prefeito Ari Vequi afirma que a atual gestão deve fazer um inventário sobre toda a situação da obra, para só depois pensar se tem interesse ou não em retomar a obra.

“A informação sobre essa obra aqui na prefeitura é quase zero. Por isso, antes de anunciar qualquer coisa, precisamos fazer esse inventário. Temos que averiguar o que tem lá, quanto vai custar, para só depois colocar no nosso planejamento”.

O diretor do Observatório Astronômico, Silvino de Souza, afirma que o grupo praticamente desistiu da obra no Mont Serrat. “Batalhamos muito tempo lá, e agora vai ter que recomeçar tudo. Isso é muito complicado. São dez anos de pesadelo. Eu, pessoalmente, não tenho mais nem interesse”.

Souza afirma que a prioridade do Clube de Astronomia de Brusque, hoje, é a melhoria da sede atual do observatório, localizada na avenida das Comunidades, atrás da Faculdade São Luiz.

“Estamos atrás de recursos para melhorar a nossa estrutura, em busca de empresas que nos ajudem a bancar novos equipamentos. Nossa atenção agora é o observatório atual, já que em 2019 ele vai completar 40 anos”.

Atualmente, as ruínas do ‘novo’ observatório astronômico abrigam moradores de rua e é um ponto frequente para usuários de drogas. Além disso, o local, que tem uma das mais belas vistas do Centro da cidade, está cercado por lixo acumulado e mato.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio