Prefeitura de Brusque planeja novo acesso da avenida Beira Rio à rodovia Antônio Heil

Obra é tida como prioridade e serviço deve começar neste ano

  • Por Marcos Borges
  • 13:30
  • Atualizado às 14:51

Prefeitura de Brusque planeja novo acesso da avenida Beira Rio à rodovia Antônio Heil

Obra é tida como prioridade e serviço deve começar neste ano

  • Por Marcos Borges
  • 13:30
  • Atualizado às 14:51
  • +A-A

A Prefeitura de Brusque planeja começar, até o fim do ano, a construção de um corredor comercial que ligará a avenida Bepe Roza, a Beira Rio, à rodovia Antônio Heil (SC-486). O Departamento Geral de Infraestrutura (DGI) está na fase final do projeto.

O objetivo é criar uma ligação entre as duas vias – que estão entre as mais importantes para o trânsito no município. A rua ficará próxima ao Motel Shampoo e passará por terras que pertencem à família Staack, que já deu o aval para a obra.

Essa rua fará a ligação com a Beira Rio quando ela for prolongada. A obra contempla, portanto, duas vias: a nova rua e a Beira Rio. Haverá, também, uma rotatória na rua Itajaí. “O que imaginamos é que tiramos o fluxo de Guabiruba e da margem direita do rio. Todos poderão acessar à ponte do Santos Dumont”, afirma o vice-prefeito Ari Vequi.

Segundo Vequi, a prefeitura tem a intenção de começar a obra o quanto antes, ou, pelo menos, terminar o projeto. A expectativa é que o serviço de terraplanagem comece ainda em 2017. Já a pavimentação, em uma projeção realista, deve ficar para o ano que vem.

A diretora do DGI, Andrea Volkmann, explica que a obra é tratada como um corredor comercial porque passará por uma área bastante habitada e já consolidada, com muitos comércios, apesar de se tratar de uma rodovia.

Custos
O preço total da obra passará, necessariamente, pela finalização do projeto por parte da prefeitura. Fato que é bem visto pela administração municipal é que não será necessário desapropriar terras.

Desapropriações costumam representar gastos vultosos em obras públicas. No entanto, os dois donos das terras já disseram que cedem o espaço para a construção da rua.

“Queremos mexer o mais rápido possível, porque já temos R$ 4 milhões do Badesc para o canal extravasor”, afirma Vequi. Esse montante será usado na Beira Rio. O governo municipal tentará com o estado mais recursos, por meio do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam).

A expectativa é que uma nova etapa do Fundam seja lançada em breve. Segundo Vequi, que trabalhou na esfera estadual por anos, há possibilidade de o governador Raimundo Colombo anunciar até agosto.

Caso o estado não faça o Fundam, Vequi diz que a prefeitura buscará outras formas de custeio. A criação do corredor é tida como prioridade para a mobilidade na cidade.

Uma ponte sobre o ribeirão Limeira também está incluída no projeto, segundo Andrea. O DGI trabalha para levantar os custos dessa intervenção.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio