Procon suspende serviços de empresa pela fraude “MeuProcon”

Órgão de Brusque também recebeu reclamações sobre a atuação da empresa de São José

Procon suspende serviços de empresa pela fraude “MeuProcon”

Órgão de Brusque também recebeu reclamações sobre a atuação da empresa de São José

O Procon estadual protocolou na quinta-feira, 20, uma medida cautelar antecedente contra a empresa Revolução Eireli ME, em Barreiros, São José, que determina a suspensão imediata de seus serviços e atividades comerciais em sites, redes sociais e 0800 de informação denominado “MeuProcon”.

De acordo com o diretor do Procon de Brusque, Luiz Carlos Schlindwein, a decisão foi tomada porque trata-se de uma empresa privada que está utilizando irregularmente um nome de domínio público para fazer cobranças e induzir o consumidor ao erro. Além disso, a empresa firmou contrato com a Celesc para fazer cobrança de clientes em débito automático.

Consumidores de Brusque também foram afetados pelos serviços da empresa. “Desde o dia 7 de novembro começamos a receber ligações de consumidores questionando sobre esse serviço. O pessoal ligava para as pessoas oferecendo serviços de consulta e informações sobre direito do consumidor por R$ 19,90 descontado na fatura da Celesc”, diz.

O órgão brusquense entrou em contato com o Procon estadual e solicitou que fosse feita uma vistoria no local da empresa. “O Procon de São José foi fiscalizar e constatou que era uma empresa que presta serviços de informática. Por isso, foi tomada essa decisão, já que eles estavam agindo irregularmente, usando o nome de uma instituição que é pública”.

Schlindwein destaca que o caso chamou a atenção dos consumidores. “Não se paga nenhuma taxa para utilizar o serviço do Procon. Alguns consumidores chegaram até a contratar o serviço, então abrimos um procedimento para cancelar. Eles já haviam tentado também em outros municípios”.

O diretor do órgão informa que o Procon estadual está solicitando cópia do contrato da empresa com a companhia de energia, já que no alvará de funcionamento consta como serviços de suporte técnico. A empresa receberá ainda multa diária de R$ 2 mil por item, de um total de seis que compõe a ação, cada vez que um dos itens da medida cautelar for descumprido.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio