Conteúdo exclusivo para assinantes

Projeto sugere acompanhamento da medicação dos alunos em escolas de Brusque

Vereador considera que medida garante segurança aos alunos; na prática, ação já é realizada no município

Projeto sugere acompanhamento da medicação dos alunos em escolas de Brusque

Vereador considera que medida garante segurança aos alunos; na prática, ação já é realizada no município

Comum em outras cidades brasileiras, o vereador Ivan Martins (PSD) sugeriu na sessão da Câmara desta semana projeto de lei que obriga os pais ou responsáveis por crianças e adolescentes matriculados em escolas públicas ou particulares de Brusque, a apresentar cópia da receita de medicamentos a serem ministrados no horário letivo.

O vereador afirma que há muitos alunos que fazem uso de remédios de uso contínuo e que a automedicação é temerária. Ele conta que recebe muitas reclamações dos pais que relatam que os estudantes não tomam os medicamentos por falta de instrução por parte da instituição de ensino.

“Ao anexar essa cópia junto da receita com a matrícula, os funcionários da escola ministram essa medicação no horário correto e a criança não sofre interrupção, o que lhe garante segurança para que não tenha problema futuros”.

O secretário de Educação de Brusque, José Zancanaro, diz que a medida já é utilizada na rede pública municipal. Segundo ele, os pais dos estudantes que possuem alguma doença e realizam tratamento conversam com a direção, professores e demais profissionais, que orientam e acompanham essas crianças.

Atualmente há 81 estudantes com laudo médico, sendo que para cada uma delas existe um educador social que presta o apoio. São problemas de diversas ordens, tanto físico como mental.

“Além de terem o professor em sala de aula normal, essas crianças com laudo médico tem esse educador social que lhes acompanha, leva ao banheiro e presta todo o cuidado necessário”.

No entanto, Zancanaro ressalta que é obrigatório a apresentação do laudo, para que a escola possa realizar a medicação conforme prescrição médica.

O projeto de lei foi apresentado na sessão desta terça-feira, 17, enviado para parecer das comissões técnicas, para posteriormente ser encaminhado ao plenário e votado.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio