Quase empatados nas pesquisas, Dilma e Aécio travam a última batalha eleitoral neste domingo

Segundo turno da eleição presidencial neste domingo, 26, promete ser uma das mais disputadas da história

Quase empatados nas pesquisas, Dilma e Aécio travam a última batalha eleitoral neste domingo

Segundo turno da eleição presidencial neste domingo, 26, promete ser uma das mais disputadas da história

Neste fim de semana, será realizado o segundo turno da eleição presidencial, que promete ser uma das mais disputadas da história. Com pouca diferença no percentual de votos, conforme as pesquisas eleitorais, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) farão uma disputa “voto a voto” no domingo, e buscam convencer os últimos indecisos a aderir à suas campanhas.

O professor da Univali Flávio Ramos, doutor em Sociologia Política, analisa o comportamento do eleitor que votou em outros candidatos no primeiro turno, e afirma que essas pessoas precisam ser convencidas pelos presidenciáveis. Ou seja, embora outros candidatos tenham declarado apoio à Dilma ou Aécio, isso não é garantia de transferência ‘automática” de votos.

“Esse fenômeno da chamada transferência de votos existiu apenas em 1989 nas eleições presidenciais, quando Brizola conseguiu transferir seus votos para o Lula. Dificilmente os votos de Marina Silva irão, por exemplo, para o PSDB. Nem todos que optaram pela Marina se identificam com o Aécio ou com a Dilma”, afirma Ramos.

Na mesma linha, ele afirma que o comportamento do eleitor que, no primeiro turno, anulou seu voto ou votou em branco, tende a permanecer o mesmo. Em Brusque, por exemplo, abstenções somaram 14% do total do eleitorado (11.602). Na eleição presidencial, votos nulos foram 4,36% (3.048), e votos em branco f foram 3,06% do total (2.140).

“Acredito que os votos brancos e nulos aumentarão no domingo”, avalia o professor, “os debates frustraram muitos eleitores em função das agressões verbais ocorridas entre ambos os candidatos”, diz. Ou seja, se no primeiro turno somente 69,8 mil dos 81 mil eleitores brusquenses foram às urnas, esse número deve ainda ser menor no domingo.
Por fim, Ramos explica que é difícil definir que estratégias devem adotar os cabos eleitorais para, na reta final, tentar convencer os indecisos, mas alerta para a importância do último confronto, às vésperas da eleição. “O debate na Globo nesta sexta-feira terá um peso determinante para que os indecisos definam o voto”.

 

PT

Campanha na base da conversa

Um dos coordenadores da campanha petista em Brusque, Cedenir Simon, afirma que os resultados da presidente tem crescido, no segundo turno, mas não arrisca estimar quantos votos ela fará. No primeiro turno, Dilma fez apenas 15% dos votos em Brusque.

“Estamos trabalhando com as pessoas, conversando e explicando porque a Dilma é melhor do que o outro”, diz, “Não há grande movimentação. A militância está fazendo um trabalho mais de conversa, sem grande mobilização, até pra não criar nenhum tipo de expectativa, mas estamos trabalhando bastante”.

Ele ressalta que, no primeiro turno, menos pessoas estavam engajadas na campanha, e cita como exemplo o governador reeleito Raimundo Colombo (PSD), que até vídeo já gravou em apoio à presidente. Embora seu partido tenha vários políticos dissidentes, que não votam em Dilma.

“Apostamos muito no diálogo sobre o que está em jogo no Brasil”, afirma Simon, destacando que, com a polarização no horário eleitoral diário, a população se envolve mais na disputa. “Agora muito mais gente ficou sabendo quem é o adversário da Dilma, no primeiro turno não estava bem claro. O fato dele ficar mais conhecido nos ajuda”.

PSDB

Última movimentação no sábado

O deputado reeleito Serafim Venzon (PSDB), coordenador da campanha tucana no Vale do Itajaí, ressalta os resultados das pesquisas internas do partido, que divergem das divulgadas pelos institutos de pesquisa. “As nossas dizem que o Aécio vai ganhar com mais de 10%. Quem já votou na Dilma, continua votando; os demais, a tendência é ir para o Aécio”, opina.

No sábado, simpatizantes da campanha farão uma movimentação regional em Brusque, Guabiruba e Nova Trento. A ideia é distribuir adesivos e impressos com o projeto de governo de seu candidato. “Impossível que esse povo que vê a saúde do jeito que está queira a continuidade desse governo”.
Segundo Venzon, a expectativa é fazer de 80% a 85% dos votos em Brusque, que foi uma das cidades com maior votação pró-Aécio, no estado. Venzon já foi colega do presidenciável em dois mandatos na Câmara Federal, a acredita que poderá “colher frutos”, no caso da vitória tucana. “Queremos ser a cidade que mais contribuiu com ele no segundo turno, e isso depois nos dá uma vantagem para fazer pedidos especiais para Brusque”, afirma.

 

Resultados do primeiro turno
Brusque

Aécio Neves (PSDB) 45.544 (70,39%)
Dilma Rousseff (PT) 10.233 (15,82%)
Guabiruba

Aécio Neves (PSDB) 8.287 (72,78%)
Dilma Rousseff (PT) 2.078 (18,25%)
Botuverá

Aécio Neves (PSDB) 1.960 (61,06%)
Dilma Rousseff (PT) 1.054 (32,83%)

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio