Prancheta - Cristóvão Vieira

cristovao@omunicipio.com.br

Um semestre para refletir sobre o esporte em Brusque

Coluna faz comentário geral sobre os primeiros seis meses do mundo no cenário esportivo da região

Prancheta - Cristóvão Vieira

cristovao@omunicipio.com.br

Um semestre para refletir sobre o esporte em Brusque

Coluna faz comentário geral sobre os primeiros seis meses do mundo no cenário esportivo da região

Prancheta - Cristóvão Vieira

Estamos passando para a reta final do ano e já é possível refletir sobre o primeiro semestre no que se refere ao esporte em Brusque e região. Muita coisa foi perdida, outras passaram a ser vistas sob um novo aspecto e alguns novos movimentos surgiram, buscando espaço.

Não dá pra deixar de dizer que o atletismo faz falta em Brusque. Todo o fim de semana os atletas tinham histórias para contar, com medalhas, pódios, títulos e amostras de superação. A saída conturbada do professor João Nunes, o mestre da modalidade na cidade, culminou no fim de um projeto vencedor.

Falta também faz a equipe adulta do Barateiro, desmanchada por divergências de opinião e falta de recursos, e que agora faz um trabalho de formiguinha para voltar a ser um elenco competitivo – por enquanto, as atletas que formam a categoria de base ainda encontram dificuldades para superar seus limites.

Para a formação de novos atletas ou mesmo a retirada de crianças e jovens das ruas, a péssima notícia foi a extinção das escolinhas de voleibol. O vôlei também não teve dinheiro para manter o elenco adulto que fez boa Superliga B no início do ano, mas se despediu de Brusque.

Mas devido a força das associações e pessoas que fazem o esporte acontecer na região, novas conquistas e projetos surgiram. Foi o caso do futebol americano, que agora volta a existir em Brusque com a equipe Weavers Football. Algumas modalidades evoluíram, contando até com apoio da prefeitura, como no caso do tênis de mesa, outras decepcionaram, como o basquete adulto e sua campanha ruim na Liga Ouro.

O Bruscão não pode ser esquecido. Mesmo diante de todas as dificuldades, fez grande Catarinense, chamou os holofotes de todo o Brasil para si no jogo com o Corinthians na Copa do Brasil e disputa agora a fase mata-mata da competição. Além disso, prepara um elenco para o próximo estadual e, se de fato for realizada, a Copa Santa Catarina.

Algumas dúvidas ainda remanescem para este semestre. A Vila Olímpica é o elefante branco de Brusque, em um terreno adquirido por cerca de R$ 3,8 milhões que não parece ter destino algum. Os responsáveis pelas associações e modalidades, que deveriam dar o primeiro passo, não se manifestaram – com exceção ao Brusque Futebol Clube, que entregou documento na prefeitura confirmando interessa na construção de um estádio. E o campeonato amador de futebol, sucateado por conivência da FME de Brusque, chegará pelo menos ao fim?

Nota-se que apesar das adversidades e cortes significativos no apoio municipal às modalidades esportivas, elas seguem sobrevivendo. Porém, as associações ainda estão longe de saírem do amadorismo, investem pouco em projetos de incentivo fiscal e ainda aguardam muito de prefeituras que não conseguem acertar nem as próprias contas. Nas crises é que se descobrem os homens de engenho, que enxergam a luz onde todos só veem escuridão.

Que o restante do ano nos traga mais alegrias do que saudosismo, mais medalhas do que lágrimas e mais títulos do que lamentações. Um semestre passou no piscar de olhos, e o tempo já está correndo para que 2017 chegue ao fim. Mais do que qualquer um, os atletas sabem que cada minuto é precioso.

 

Projeto neotrentino de sucesso

Foto: Arquivo O Município

No cenário esportivo nacional, pensar em Nova Trento é lembrar do voleibol. O município possui um dos mais consolidados tradicionais e vitoriosos projetos da modalidade, revelando atletas aqui e ali e garfando títulos – Rosamaria Montibeller é natural do município, foi garimpada pelo projeto e hoje integra a Seleção Brasileira de Vôlei. No registro da sessão, o elenco da base vencia fase regional das Olimpíadas Estudantis de Santa Catarina (Olesc), há dez anos.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio