Vigilância Epidemiológica de Brusque registra o 29º foco positivo do Aedes aegypti em 2018

Neste ano, o bairro Santa Terezinha é o local com maior número de focos

Vigilância Epidemiológica de Brusque registra o 29º foco positivo do Aedes aegypti em 2018

Neste ano, o bairro Santa Terezinha é o local com maior número de focos

Um foco positivo do mosquito Aedes aegypti – transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika Vírus –, foi encontrado na semana passada em um estabelecimento comercial, no bairro São Luiz.

Com este caso, a Vigilância Epidemiológica de Brusque contabilizou 29 focos positivos do mosquito no município até quinta-feira, 8, o que conforme o órgão, já configura que a cidade está infestada pelo Aedes aegypti.

A coordenadora do Programa de Endemias da vigilância, Letícia Figueredo, diz que os números são alarmantes e que é preciso a ajuda da população para evitar a disseminação dos focos. Ela observa que o município é propenso a concentrar mosquitos devido às altas temperaturas, mas a falta de cuidado e conscientização da comunidade colabora para os dados.

“Em pouco mais de um mês registramos um número assustador, se não tivermos a ajuda da comunidade pode piorar”, diz.

Letícia explica que quando ocorre a identificação de um foco positivo (larvas positivos para o Aedes aegypti) é feita a Delimitação de Foco (DF) e Tratamento (TT) em um raio de 300 metros. Nos bairros infestados, segundo ela, é realizado em 100% da área.

Ela afirma que o tratamento consiste na orientação e eliminação dos possíveis criadouros encontrados em todos os imóveis localizado nesta delimitação. No caso do foco encontrado no estabelecimento comercial na semana passada, por não ser possível a eliminação de todos os materiais encontrados no local, o Estado determinou pelo uso do Bendiocard.

“É um inseticida que possui ação residual fixando-se nas paredes dos depósitos com o objetivo de atingir o mosquito adulto. Sua aplicação é feita por meio de aspersor manual ou motorizado – bomba intercostal”.

Letícia conta que através do Programa de Controle de Endemias foram distribuídas 581 armadilhas no município, em 107 pontos estratégicos.

Em 2017 foram notificados 43 casos suspeitos de dengue e apenas um positivo; dois suspeitos de Zika Vírus – ambos descartados após exames laboratoriais-, e nove suspeitos de Febre Chigunkunya, sendo todos descartados.

Já neste ano foram sete suspeitos de Dengue, cinco descartados e dois aguardando resultado, além de um suspeito de Febre Chigunkunya, que também está aguardando resultado. O material foi enviado para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) de Santa Catarina no começo desta semana e os laudos devem ser emitidos nos próximos dias.

Letícia destaca que o programa de Endemias mantém o alerta a população para o aumento do número de focos positivos do Aedes aegypti, que além de transmitir a Dengue, Zika Vírus e Febre da Chigunkunya, transmite a Febre Amarela no ciclo urbano.

“Pedimos a colaboração da população não apenas com denúncias de locais críticos, mas que cada um faça sua parte para que a infestação não se dissemine por Brusque toda”.

Inseticida foi usado para combater focos positivos do mosquito no São Luiz/ Divulgação

Perfil Epidemiológico de Brusque em 2018 (até 8 de fevereiro)
29 focos positivos

16 Santa Terezinha
6 Nova Brasília
2 Santa Rita
1 Centro II
1 São Luiz
1 Souza Cruz
2 Limoeiro

Perfil Epidemiológico de Brusque em 2017
64 focos positivos

21 Nova Brasília
32 Santa Terezinha
4 Santa Rita
1 Centro II
1 São Pedro
1 Steffen
2 Bateas
1 Azambuja
1 Rio Branco

Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti

· Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
· Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
· Mantenha lixeiras tampadas;
· Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
· Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
· Trate a água da piscina com cloro e limpe uma vez por semana;
· Mantenha ralos fechados e desentupidos;
· Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
· Retire a água acumulada em lajes;
· Dê descarga, no mínimo, uma vez por semana em banheiros pouco usados;
· Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
· Evite acumular entulho, pois podem se tornar locais de foco do mosquito da dengue;
· Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;
· Caso apresente sintomas de Dengue, Chikungunya ou Zika Vírus, procure uma Unidade de Saúde para atendimento.

Fonte: Vigilância Epidemiológica de Brusque

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio