Entrevistas de emprego podem ser situações que deixam os candidatos às vagas pouco confortáveis. Porém, são parte importante dos processos seletivos, tanto para os recrutadores quanto para os profissionais que buscam uma colocação no mercado de trabalho.

O vice-presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos – seccional Santa Catarina (ABRH-SC) e diretor da consultoria em recursos humanos e gestão de pessoas Tempo e Trabalho, Édio Bertoldi, explica que a entrevista de emprego é apenas uma das diversas etapas que fazem parte do processo seletivo. “É o momento que gera mais ansiedade e expectativa ao candidato, mas é importante lembrar que é uma variante entre tantas outras.”

Veja também:
Brusque tem centenas de vagas de emprego abertas em fevereiro; veja lista

Conheça Bryan Behr, cantor brusquense que já ultrapassou a marca de 350 mil plays no Spotify 

Falta de manutenção no cemitério Parque da Saudade gera reclamações

 

Schirlei Knihs Freitas, presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH) – seccional Brusque e gerente de Recursos Humanos da Zen, diz que é importante que o candidato conheça o próprio currículo, saiba o que escreveu no documento e esteja seguro para falar de suas experiências e trajetória profissional. “Ao participar de uma entrevista, é preciso trazer as informações de maneira positiva. As empresas procuram por profissionais que solucionem problemas”, acrescenta, e ressalta ainda a importância da postura e da comunicação não-verbal.

Existem na internet inúmeras dicas e técnicas de como se destacar no momento da entrevista, porém, segundo os especialistas consultados por O Município, é importante ser autêntico e sincero ao falar de si e da trajetória profissional. “Hoje, os selecionadores são profissionais muito bem preparados. Usar técnicas para se dar bem em entrevistas pode acabar atrapalhando mais do que ajudando, pois o candidato perde a naturalidade”, diz Bertoldi.

Ed Carlos

Confira dicas de como se destacar em entrevistas e processos seletivos:

Prepare seu currículo
Ter o currículo atualizado é essencial em processos seletivos. O documento deve refletir a trajetória profissional do candidato e mencionar os resultados obtidos, não apenas as atividades que foram exercidas, trazendo um pequeno resumo do que foi desenvolvido.

De acordo com Schirlei, trazer experiências e situações vividas – mesmo que não estejam descritas no currículo – é importante para que o recrutador conheça melhor o profissional. “Recomendo estudar o currículo, até mesmo dar uma ensaiada para saber como falar sobre suas conquistas e aprendizados.”

Bertoldi ressalta que, além do currículo, os documentos pessoais também devem estar atualizados. “Levar uma pasta com toda a documentação mostra que o candidato está preparado, demonstra o perfil do profissional.”

Pesquise sobre a empresa
Conhecer a empresa contratante é muito importante. Levante informações como origem da empresa, história, tamanho, cultura e valores. Se possível, converse com funcionários ou pessoas que conheçam o setor no qual pretende trabalhar.

Ed Carlos

Seja pontual
Não chegue tão cedo, mas também evite atrasos. O ideal é estar na empresa entre 10 e 15 minutos antes do horário marcado, evitando imprevistos. Segundo Bertoldi, o candidato não deve chegar com antecedência demais: “Isso demonstra ansiedade do profissional. 15 minutos está de bom tamanho”. Caso ocorra algum imprevisto, ele indica avisar, explicar a situação e conferir a possibilidade de reagendamento.

Desligue o celular
O uso do celular durante a entrevista, de acordo com Schirlei, demonstra o desinteresse do profissional. “Se possível, desligar, ou deixar no silencioso, mas com a tela virada para baixo.” Segundo Bertoldi, é importante que o candidato foque no processo seletivo, sem utilizar aparelhos eletrônicos.

Saiba falar de você e de seus resultados
O candidato deve estar preparado para falar de sua carreira e de seu potencial, mostrando ao entrevistador que pode ser um profissional importante para a empresa.

Conquistas e realizações em empregos anteriores são relevantes, e fatos da vida pessoal são válidos se tiverem conexão com habilidades necessária para a vaga – e principalmente se o candidato ainda não tiver experiências profissionais.

Ed Carlos

Conheça seus pontos em desenvolvimento
Bertoldi explica que é importante saber capitalizar em cima das histórias de insucesso. Segundo ele, os pontos em desenvolvimento do candidato também são importantes. “Histórias de projetos que não deram certo mostram o que se aprendeu com o erro, o que foi feito de diferente”, pontua.

Veja também:
Placas de propaganda sobre a calçada são proibidas por lei

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

Agente de trânsito de Blumenau é condenado a 11 anos e oito meses de prisão

Use casos e exemplos reais
“Jamais minta”, resume Schirlei. Caso o profissional traga informações que não são verdadeiras, seja no currículo ou na entrevista, isso irá vir à tona, conforme explica ela. Por isso, é importante ser sempre verdadeiro no processo seletivo. “É melhor responder que não sabe ou não tem conhecimento de alguma informação do que mentir.”

Esteja aberto a negociação
Caso os selecionadores perguntem a pretensão salarial do candidato, é importante estar aberto a negociar. Conhecer os salários praticados pelo mercado é importante nessa situação.

De acordo com Bertoldi, analisar quanto recebia no emprego anterior e saber se o valor é compatível pelo mercado ajuda na hora de conversar sobre o pagamento.

Deixe uma resposta