Diretoria pretende fazer com que Carlos Renaux continue no futebol profissional

Presidente do Vovô elogiou temporada do clube e quer dar sequência ao trabalho; Taíco gostaria de seguir como técnico

Diretoria pretende fazer com que Carlos Renaux continue no futebol profissional

Presidente do Vovô elogiou temporada do clube e quer dar sequência ao trabalho; Taíco gostaria de seguir como técnico

O Carlos Renaux encerrou a temporada neste domingo, 21, quando empatou em 1 a 1 contra o Atlético Itajaí no estádio Roberto Santos Garcia, em Camboriú, no jogo de volta das semifinais da Série C do Campeonato Catarinense.

Veja também:
Moradores relatam envenenamento de animais em dois bairros de Brusque

Empresários cobram revisão do catálogo do patrimônio histórico de Brusque

Brusquenses comentam como é votar e se informar sobre as eleições no exterior

A eliminação, consumada sem derrotas nos confrontos das semifinais, terminou a primeira participação profissional do time depois de 12 anos. Em 2006, sob seu nome original, Sport Club Brusquense, o clube também disputou a Série C, mas com campanha bem inferior que a de 2018.

O presidente do clube, Renato Petruschky, o Tato, vê a eliminação nas semifinais como um azar contínuo, que se estendeu desde o segundo turno da fase de grupos. As boas atuações perdiam brilho devido aos desperdícios de diversas chances criadas, desde o final de setembro. Enquanto a defesa esteve bem, o ataque custou a transformar as oportunidades em gols.

“Fomos superiores ao time do [Atlético] Itajaí nos dois jogos. Ultrapassamos o problema da perda dos seis pontos. Claro que queríamos ir à final, mas futebol é isso. Nossa diferença para eles estava na frente. Eles tinham dois jogadores muito experientes, e nossos atacantes eram muito jovens, ainda que tivessem qualidade. Faltou malícia”, avalia.

O dirigente aprovou a participação do clube e pretende manter o projeto para 2019, inclusive com o retorno de alguns jogadores que se destacaram. Ele afirma que os patrocinadores não devem se afastar, porque a grande concorrência pela vaga à Série B era clara.

“Ainda não sabemos qual é o calendário da Federação Catarinense de Futebol, se a Série C será no primeiro ou no segundo semestre. Mas a partir de 1º de fevereiro, após o recesso, diretoria e comissão técnica irão se reunir para uma avaliação, vermos o que foi feito de errado, o que pode ser feito para melhorar.”

O técnico Taíco afirma que, se pudesse voltar atrás, não mudaria o time, pois acredita ter feito o que seu elenco permitia. A perda dos seis pontos logo no início do campeonato afetou a parte psicológica da equipe, impedindo que fosse conquistada a vantagem por empates. Ele ainda aprecia bastante a experiência que teve no futebol profissional comandando o Carlos Renaux. “Foi uma experiência muito boa, um estágio da minha vida para o qual eu não tenho nem palavras.”

O grande ponto a ser lamentado foi a questão dos poucos gols marcados. “Com exceção ao jogo contra o Caçador, na segunda rodada, dominamos todas as partidas, e em várias delas, infelizmente a bola não entrou. Deve ter sido inédito o que aconteceu contra o Itajaí, que é um time muito bom, mas que não atacou tanto. Não tinha jeito de a bola entrar”, conta.

Veja também: 
Comerciantes vencedores de licitação ocuparão os boxes do Terminal Urbano

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

Motorista perde controle e carro tomba na saída da Via Expressa, em Blumenau

Taíco aprovou também seu desempenho enquanto técnico em 2018, juntando o time sub-20 e o profissional. De 18 jogos, seus times perderam apenas dois. Para 2019, ele pretende se aprimorar e ser mantido como técnico da equipe profissional, não mais do sub-20. “Não fui campeão em nenhum dos dois campeonatos, para mim foi frustrante, sabendo que o time era muito bom, tinha condições.”

Retrospectiva

01/09 – Carlos Renaux 7×0 Porto
Erivelto, Daniel Bahia, Arthur e Luizinho marcaram os gols da goleada sobre o Porto, num jogo marcado pela festa do retorno do Vovô ao futebol profissional.

07/09 – Caçador 3×0 Carlos Renaux
O Vovô foi dominado pelos adversários e foi derrotado justamente pelo Tricolor do Contestado. Simultaneamente ao jogo, o clube emite nota sobre o erro na escalação irregular do zagueiro Luan no banco de reservas na estreia, prevendo a perda de seis pontos. A punição se concretizou.

15/09 – Carlos Renaux 3×1 Jaraguá
O time se recupera e zera a pontuação. Fabinho, Djonathan e Luizinho marcam ainda no primeiro tempo. Jackson Júnior desconta com um golaço de fora da área.

23/09 – Jaraguá 0x0 Carlos Renaux
Começa a dificuldade na finalização. O time perde as chances que cria, com um jogador a mais em boa parte da partida.

29/09 – Carlos Renaux 0x0 Caçador
Contra o time mais forte do grupo, o Vovô domina e desperdiça uma enormidade de chances, mesmo com a expulsão do atacante adversário Leandro Domingues no segundo tempo.

06/10 – Porto 0x1 Carlos Renaux
O lateral-direito Thierry encerra a seca de gols do Vovô em Porto União e classifica a equipe às semifinais.

14/10 – Carlos Renaux 0x0 Atlético Itajaí
A tônica persiste: desperdícios de gols por todos os lados e um jogo dominado pelo Vovô. Atlético Itajaí chega com perigo, mas esbarra em uma zaga sólida e em uma defesa inspirada de Nathan.

21/10 – Atlético Itajaí 1×1 Carlos Renaux (0x0 prorr.)
Após o gol de Bruno Andrade, pelo Atlético Itajaí, o Vovô arranca o empate na raça, com um golaço de Fabinho após passe magistral de Willian. Na prorrogação, as forças já haviam se esgotado, resultando no 0 a 0 e na eliminação da equipe.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio