Para celebrar os 59 anos de Guabiruba, neste dia 10 de junho, o jornal O Município faz uma viagem no tempo por meio da fotografia, com o especial Retratos da História.

O trabalho, produzido pela jornalista Bárbara Sales em parceria com o fotógrafo Tiago Schumacher, faz uma releitura de fotos antigas da cidade, evidenciando as mudanças e o crescimento de Guabiruba ao longo dos últimos anos.

– Confira o especial Retratos da História Guabiruba 59 anos, que compara fotos antigas com atuais no mesmo local e ângulo

Para os mais velhos, é a oportunidade de relembrar tudo aquilo que viveram e que deixou saudades. Para os mais novos, é uma forma de conhecer melhor o lugar onde moram e perceber todas as mudanças.

A seleção das imagens

Para o especial Retratos da História, foram selecionadas 30 fotos antigas, de vários pontos da cidade, que ajudam a contar a história do município.

A seleção foi feita pela jornalista Bárbara Sales, que contou com a ajuda do advogado e pesquisador Roque Luis Dirschnabel, profundo conhecedor da história de Guabiruba e parte fundamental neste projeto.

Dirschnabel disponibilizou seu tempo para buscar, em seu grande acervo, imagens que contribuíssem para o especial. Além disso, ajudou na localização e nas informações históricas para a produção das legendas. Qualquer dúvida, a qualquer hora do dia, estava sempre pronto para colaborar.

Bárbara também contou com a ajuda de Méroli Habitzreuter, administradora do grupo Curto Fotos Antigas de Guabiruba, do Facebook. Também colaboraram Fabiano Siegel, presidente da Sociedade do Pelznickel, e Agui Kormann, que forneceu algumas fotos do acervo de seu pai, o ex-prefeito Guido Kormann, e do Instituto Carlos Boos.

Mudanças gigantescas

Uma das percepções mais evidentes ao longo da produção do Retratos da História foi as grandes mudanças de Guabiruba nos últimos anos. Este foi o principal desafio, de acordo com o fotógrafo Tiago Schumacher, responsável pela reprodução das imagens atualmente.

Fotógrafo Tiago Schumacher foi o responsável por reproduzir as fotos atualmente | Foto: Bárbara Sales

O fotógrafo já fez projetos semelhantes para o Grupo O Município em Blumenau e Joinville, mas as mudanças de Guabiruba o surpreenderam. “Acho que neste o mais difícil mesmo foi as grandes mudanças que ocorreram. Dificultando a localização. Em algumas, só dá para ter ideia de onde é pelas montanhas”, conta.

Além disso, há ainda a dificuldade técnica para a reprodução das fotos antigas. Antigamente, as câmeras utilizavam filmes, lentes e formatos de sensores diferentes das atuais, o que interfere na perspectiva visual das fotos.

Paixão pela história da cidade

Tiago, que mora em Blumenau, esteve em Guabiruba pela primeira vez durante a produção do projeto e se surpreendeu positivamente com a hospitalidade dos moradores. “Vale ressaltar a receptividade dos moradores e o quanto gostam de ajudar a contar a história do lugar”, diz.

Durante a produção das fotos, as dúvidas de localização muitas vezes foram sanadas pelos próprios moradores, que estavam sempre prontos para colaborar, indicando o ponto exato e relembrando como era e como mudou. Sem essa colaboração, a execução do projeto seria muito mais difícil.

 

Personagem no passado e no presente

Uma das gratas surpresas aconteceu durante a reprodução de uma foto tirada na ponte hoje denominada José Schlindwein, no bairro Guabiruba Sul, na década de 1950. Bárbara e Tiago tinham algumas dúvidas, então decidiram perguntar para algum morador. A jornalista bateu em uma casa próxima, explicou o projeto e quando mostrou a foto, veio a surpresa: a foto antiga foi tirada por Edmund Schlindwein, avô de Nivaldo, um dos moradores da casa que Bárbara pediu a informação. 

Mas a surpresa não parou por aí. O pai de Nivaldo, seu Nelson, era uma das pessoas que apareciam na foto antiga que seria reproduzida. Na época da foto, ele ainda era criança, tinha por volta de 9 anos de idade.

Seu Nelson exibe orgulhoso a foto tirada pelo pai | Foto: Tiago Schumacher

“Ficamos muito surpresos e felizes, porque a escolha da casa para pedir a informação foi totalmente aleatória. Com certeza, essa história marca o Retratos da História de Guabiruba, porque a chance disso acontecer é muito pequena. Para mim, essa foto virou  o xodó do projeto”, destaca a jornalista.

Seu Nelson tem muito orgulho da foto tirada pelo pai, que até tem a imagem em um porta-retrato. Ele conta que Edmund era um dos poucos que tinha câmera fotográfica na época e que gostava de registrar tudo.

Sem pensar duas vezes, Tiago decidiu aproveitar a coincidência e convidar seu Nelson para aparecer também na foto atual. O resultado desta e outras fotos você pode conferir em omunicipio.com.br/retratosguabiruba.

Deixe uma resposta