Há uma semana do espetáculo Paixão e Morte de um Homem Livre, o jornal O Município inicia uma série de reportagens que contam um pouco mais sobre os bastidores da peça e apresentam quem são alguns dos atores voluntários que dão vida à importantes personagens dessa emocionante história bíblica.

Hoje, vamos conhecer quem são as três mulheres que se revezam no palco interpretando Maria de Nazaré. A personagem que se destaca naturalmente, por ser a mãe de Jesus, nesse ano, ganha ainda mais atenção ao narrar as cenas do teatro. “Nada mais emocionante do que a mãe contar em detalhes a história de vida e ressurreição do seu filho”, relata Rosane Ebele, que interpreta a Maria narradora.


Orgulho
Integrante da Associação Artístico Cultural São Pedro, Rosane participa da peça desde a primeira apresentação e pela quarta vez, interpreta uma das Marias. Mãe de Bruna e Natália, e esposa de Nilson, também envolvidos na organização do evento, a facilitadora de ateliê acompanha de perto a trajetória do espetáculo e orgulha-se com o resultado.

Rosane Ebele participa do espetáculo desde a primeira apresentação e pela quarta vez, interpreta uma das Marias da peça, que neste ano, narra a história do seu filho Jesus / Foto: Ana Roberta Venturelli/ Ideia Comunicação

“É muito gratificante ver as pessoas emocionadas e tocadas com a apresentação. As lágrimas, os sorrisos, os aplausos, enfim, o encantamento do público são nossa maior recompensa. O objetivo do espetáculo é propagar uma mensagem de paz e de amor, fazer com que as pessoas reflitam sobre o verdadeiro sentido da Páscoa”, descreve a atriz.

Rosane também manifesta satisfação em atuar no papel da mãe de Jesus. “Fiquei muito emocionada quando fui convidada para essa missão. Maria foi uma pessoa muito frágil e ao mesmo tempo, extremamente forte, que soube enfrentar sozinha a morte do filho, com fé e sabedoria. É uma pessoa encantadora, em quem devemos nos espelhar, tanto nos momentos de dor e sofrimento, como nos momentos de alegria e de dedicação à família”.


Exemplo
O exemplo de Maria de Nazaré, também é muito significativo na vida de Wanneida Siegel, a gerente de farmácia, que interpreta a mãe de Jesus, na fase jovem. “Maria é a pureza que levo para minha vida. Ela está sempre presente no meu dia a dia e poder representá-la nesse trabalho é muito recompensador, principalmente espiritualmente. É uma sensação única”, declara a atriz.

Wanneida já esteve envolvida com as coreografias de abertura, foi povo e fez papel de Eva e Verônica, mas há alguns anos, atua como uma das Marias da peça. “Participo do espetáculo desde 1998 e a cada apresentação, percebo a expectativa das pessoas em assistir o teatro. Ficam me perguntando se vou interpretar Maria de novo e esse carinho do público é muito legal. Participar desse evento, requer tempo e dedicação, mas vale a pena. Se não participo, sinto muita falta”, observa a esposa de Fabiano e mãe de Wicente e Joaquim, de 5 anos, que também participam do espetáculo.


Emoção
A terceira Maria do teatro, que interpreta a mãe de Jesus na fase adulta, é a professora Denise Fernanda da Silva Carminati. Ela participa do evento há 20 anos. Já esteve no papel de mãe de Lázaro e Maria de Cléofas, mas é a primeira vez que atua como Maria de Nazaré. “Foi uma grande honra ser convidada para representar a mãe de Jesus. Me emociono a cada ensaio, com cada cena e acredito que essa emoção também vai contagiar as pessoas que virem assistir as apresentações. Nada se compara ao papel de Maria. Sou devota de Maria, ela é muito presente em minha vida e o seu testemunho me ajuda muito enquanto esposa, professora e mãe na vida real”, conta Denise.

A esposa de Rodrigo e mãe de Enzo Rodrigo, de 13 anos, também reconhece que não há recompensa maior, que ver a satisfação do público ao final das apresentações. “Vemos o quanto é importante sermos instrumentos de evangelização para levarmos essa mensagem de Cristo e o testemunho de Maria ao povo, neste que é um tempo de perdão, reconciliação e renovação espiritual”, define a atriz.


Convite

Inspiradas na mãe de Jesus, as três Marias do espetáculo Paixão e Morte de um Homem Livre, convidam as famílias para assistirem as apresentações, que acontecem nos dias 13 e 14 de abril, às 21h e 19h30, respectivamente. “Esperamos que os pais tragam seus filhos, que os filhos tragam seus pais, e que as famílias venham conhecer um pouco mais sobre a história de Jesus. Por meio do teatro é possível absorver de forma especial, o verdadeiro sentimento da Páscoa, e a reflexão que Cristo nos propõe enquanto cristãos, que é cultivar o amor e o respeito entre as pessoas”, salientam Rosane, Wanneida e Denise.

 

Deixe uma resposta