A dedicação do empresário Marcelo Lira com o trabalho na comunidade, principalmente a serviço da igreja, começa a ser seguido pelos filhos Matheus, 19, e Pedro, 14.

Ao lado da esposa Denise, ele participa do movimento Emaús há mais de 10 anos, é orientador do grupo Santa Cecília e integra a liturgia de igrejas em Brusque e Guabiruba. Lira participa de inúmeras atividades relacionadas à vida cristã e vê o filho Matheus trilhar o mesmo caminho.

Veja também: 
Em sete meses, cerca de 10 mil multas são aplicadas na rodovia Antônio Heil

Organização planeja levar Fenajeep para Vila Olímpica em 2020

Dois dos acusados de assassinato de Roberta Keller vão a júri popular

Aos 19 anos, o filho mais velho já participou de duas edições da Formação de Adolescentes Cristãos (FAC) e do acampamento organizado pela igreja católica por vontade própria. Após fazer os retiros, o jovem também começou a auxiliar na organização dos encontros.

Matheus e Pedro cresceram vendo o pai atuar na comunidade | Foto: Arquivo pessoal

O pai afirma que nunca houve pressão para que o filho iniciasse nas atividades da igreja. “Nunca forçamos nada. Eles viam a nossa convivência com os grupos e assimilaram isso. Muitas vezes, fomos até cobrados por sermos envolvidos demais com essas atividades, mas a partir do momento que o Matheus participou pela primeira vez, ele entendeu”, diz.

Marcelo, a esposa e o filho mais velho já chegaram até a atuar juntos no acampamento-mirim que foi realizado recentemente em Botuverá, tamanho o envolvimento da família com a igreja.

Se Matheus já deu os primeiros passos, o filho mais novo de Marcelo, Pedro, começa agora a entrar neste mundo. “Ele fez o retiro de Crisma e quer fazer o FAC, mas tem que esperar porque não tem idade. Ele está ansioso e fico muito feliz por ele querer seguir os nossos passos”.

Veja também: 
Fé e voluntarismo: católicos evangelizam pelas ruas de Brusque

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

Áudio de Bianca Wachholz indica que ex-namorado planejou assassinato

Marcelo diz que se sente muito orgulhoso pelos filhos estarem seguindo os valores passados pela família, principalmente em uma época em que as relações entre pais e filhos estão cada vez mais conturbadas e nem sempre é possível ter essa união e o gosto pelas mesmas atividades.

“Procuramos passar para os filhos os melhores exemplos. Sempre incentivamos a ir a missa, mas deixamos eles livres. Acredito que os valores que estamos passando são os melhores possíveis, pois eles estão cada vez mais envolvidos”, diz.

“Aqui em casa nunca faltou respeito e eles foram criados com limites, sabendo o que é certo e o que é errado, e o resultado está aí. Esses valores são muito importantes. Como pai, não há nada melhor do que ver os filhos trilhando um bom caminho”, completa.

Deixe uma resposta