Rosemari destaca que Brusque carece de espaços para realização de eventos, já que hoje o pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof não é mais suficiente. Por isso, o espaço onde funcionava a fábrica nova poderia ser transformado em um centro de eventos. “Eventos são fenômenos multiplicadores de negócios, pelo seu potencial de gerar novos fluxos de visitantes, capaz de alterar determinada dinâmica da economia”.

Eventos são fenômenos multiplicadores de negócios

Ela ressalta que  os eventos constituem parte significativa na composição do produto turístico, e podem representar a valorização dos conteúdos locais. “Brusque, como Berço da Fiação Catarinense, pode trazer muitos eventos relacionados direta ou indiretamente a toda a cadeia têxtil”.

A proposta é utilizar o galpão que tem frente para a avenida Primeiro de Maio para instalação do Centro de Eventos mantendo, no seu interior, algumas características do tempo em que ali funcionava a fábrica. “O espaço já foi utilizado para a realização de alguns desfiles de moda em anos recentes, e fez grande sucesso”, lembra Rosemari.

A proposta é utilizar o galpão mantendo, no seu interior, algumas características do tempo em que ali funcionava a fábrica | Arquivo O Município

Terreno do entorno: Parque para convivência
Para Rosemari, o entorno dos imóveis da Fábrica Renaux e da Villa Ida representam um verdadeiro patrimônio natural, por isso, a ideia é transformar todo o espaço em parque para convivência. “Com sua beleza cênica, seu valor histórico, cultural, ambiental e urbanístico, seu valor é inegável e perder esse patrimônio é uma verdadeira agressão à memória do povo da região, e deve ser conservado para a sociedade”, diz.

Deixe uma resposta