Um dos marcos mais importantes da história de mais de um século do Hospital Azambuja foi anunciado em agosto do ano passado: a residência médica em parceria com o Centro Universitário de Brusque (Unifebe). Os primeiros residentes começarão a atender no Hospital Azambuja em março de 2018, e as obras já estão transcorrendo.

A medicina, sobretudo nas últimas quatro décadas, evoluiu a uma velocidade alta. As técnicas que outrora eram de praxe hoje já caíram em desuso. Os médicos têm o dever de se manter atualizados, mas a chegada de gente nova é bem-vista e oxigena a dinâmica dentro do hospital.

A residência médica é comemorada porque o Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo (SP), é parceiro e auxiliará na implantação da residência médica no Azambuja. O hospital paulista é conhecido como um dos melhores da América do Sul, responsável por atender políticos, empresários e celebridades.

É o primeiro passo de um grande projeto que a Unifebe estabeleceu na área da Saúde. Em todos os passos que daremos, o Azambuja será nosso parceiro hospitalar

A residência médica é a “especialização do médico”, a grosso modo. Depois de formado, o profissional que deseja tornar-se ortopedista, por exemplo, precisa fazer residência médica em um hospital que tenha essa especialidade e o aceite.

No caso da Unifebe, serão duas especialidades, com três vagas cada uma, inicialmente: Medicina da Família e Comunidade, em parceria com a Secretaria da Saúde de Brusque; e Clínica Médica, em conjunto com o Hospital Azambuja.

Por ser uma especialidade importante na formação do médico, a Clínica Médica recebe vários profissionais de todos os tipos, com novos conhecimentos. Esse é um dos principais ganhos com a vinda da primeira residência médica no município, na visão do padre Nélio Roberto Schwanke, diretor administrativo do Hospital Azambuja.

Para ele, a comunidade será a principal beneficiada com o início da Clínica Médica dentro do hospital. Padre Nélio afirma que a parceria com a Unifebe e o Albert Einstein é motivo de comemoração e vai se refletir na melhora da qualidade no Azambuja.

Hospital Albert Einstein é referência na América do Sul. Foto: Divulgação

“Além disso, teremos um avanço ainda maior no atendimento ao nosso paciente, que contará com um diagnóstico mais rápido, preciso e humanizado, pois os residentes juntamente com os nossos médicos atenderão a este anseio da comunidade”, afirma o administrador do Hospital Azambuja, Fabiano Amorim.

O reitor da Unifebe, Günther Lother Pertschy, diz que o hospital brusquense
foi fundamental para a criação da primeira residência médica em Brusque. “Fomos buscar nossos parceiros locais, nesse sentido o Hospital Azambuja é de extrema importância, assim como a Secretaria de Saúde”.

Obras
O Hospital Azambuja faz investimentos para a Clínica Médica. A parte onde fica a ortopedia passa por mudanças. Serão construídos mais consultórios e haverá um ambulatório para atendimento dos pacientes dos ortopedistas pela manhã.

À tarde, os residentes farão os atendimentos dos pacientes que já receberam alta, mas precisam de acompanhamento.


Projeto com o Azambuja terá continuidade

Abrir cursos na área de Saúde, principalmente Medicina, mas também Enfermagem,
é um desejo antigo da Unifebe, conta o reitor da instituição, Günther Lother Pertschy. A criação da residência médica é a etapa inicial para a abertura dos cursos em Brusque.

Temos o respaldo de uma grande instituição como o Albert Einstein, estamos felizes porque essa evolução trará grandes resultados para Brusque

“É o primeiro passo de um grande projeto que a Unifebe estabeleceu na área da Saúde. Em todos os passos que daremos, o Azambuja será nosso parceiro hospitalar”, afirma Pertschy.

Para o reitor, o caráter comunitário do Hospital Azambuja também pesou na hora de buscá-lo como parceiro para a implantação do programa de Clínica Médica no município. Já a residência em Medicina da Família terá como parceira a Secretaria de Saúde Brusque.

A Unifebe fez o caminho inverso do que é convencional entre as instituições de ensino superior no Brasil. Geralmente, cria-se o curso para depois avançar com a residência médica.

Pertschy tem destacado desde o anúncio da residência médica, em agosto do ano
passado, que a Unifebe está a construir os alicerces para a Medicina em Brusque pelo caminho contrário, com mais segurança.

“Temos o respaldo de uma grande instituição como o Albert Einstein, estamos
felizes porque essa evolução trará grandes resultados para Brusque”, diz o reitor.


O Hospital Albert Einstein
A Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, de São Paulo, atua em três frentes integradas: a assistência à saúde, a responsabilidade social e a geração e difusão do conhecimento.

As atividades de assistência à saúde estão concentradas no Hospital Israelita Albert Einstein e na área de medicina diagnóstica e preventiva, que contribuem com a sustentabilidade das ações de responsabilidade social, ensino e pesquisa.

Deixe uma resposta