A nível nacional, o Joinville não ficava em uma mesma divisão desde o acesso à Série A em 2014. Foram dois rebaixamentos seguidos até a disputa da Série C em 2017, na qual não se classificou para as quartas de final por saldo de gols. No Catarinense, após três vices consecutivos, o JEC ficou na 5ª posição em 2017. Já se passaram 17 anos desde o título de 2001, conquistado sobre o Criciúma. Mesmo com o título da Série B do Brasileiro em 2011, a pressão e a ansiedade para voltar ao topo do estado só crescem. E no meio disso, há a instabilidade política do clube.

Entre os diversos reforços feitos para o Estadual, estão o lateral Hélder, ex-Goiás, e o atacante Elias, velho conhecido do técnico Rogério Zimmermann nos tempos em que os dois estavam no Brasil de Pelotas. O meia Tinga, ex-Palmeiras, Figueirense e Avaí, e Michel Schmöller, meia revelado pelo Figueirense que disputou o último Catarinense pelo Inter de Lages, também chegaram no pacotão entre temporadas.

O Joinville é o primeiro adversário do Brusque no Catarinense, e os dois times tiveram um adversário em comum na pré-temporada: o Atlético-PR. Enquanto o quadricolor perdeu por 1 a 0 para o Sub-20 do rubro-negro paranaense, o JEC venceu por 2×0. E ainda fez outro jogo-treino contra o time Sub-23 do Atlético, o elenco que disputará o Campeonato Paranaense, e o resultado foi empate em 1 a 1. Com a comparação, ainda que simplista, há motivos para algum otimismo por parte do JEC, nem que seja apenas para a partida desta quarta-feira, 17, na Arena Joinville.

Jogos contra o Brusque:

1ª rodada – 17/01 – 20h30
Joinville x Brusque
Arena Joinville

10ª rodada – 25/02 – 17h
Brusque x Joinville
Augusto Bauer

Deixe uma resposta