Ademar Sapelli está prestes a completar 60 anos, mas seu vigor e entusiasmo desmentem a idade. O fundador do Grupo Sancris fala com orgulho das suas raízes brusquenses e da importância dos filhos e dos colaboradores na sua trajetória, e já planeja novos desafios.
Sempre atento ao que acontece ao seu redor, Sapelli respira a Sancris. O empresário tem orgulho da família, dos pais, Pedro Sapelli Neto e Iria Fischer Sapelli, e do passado de muito trabalho.

O presidente da Sancris é daqueles que se envolvem em tudo na empresa. Durante suas viagens como representante adquiriu e aprimorou conhecimentos que usaria nos negócios. No dia a dia, costuma circular pela empresa para deliberar e conversar com os colaboradores.

Embora esteja consolidado no mercado, o industrial planeja mudanças. Nos últimos dois anos, uma consultoria especializada em governança corporativa atuou na Sancris para identificar o melhor caminho para a empresa daqui em diante.

Sapelli tem noção do tamanho que o Grupo Sancris tomou e de que várias pessoas estão ligadas a elas. Por isso resolveu preparar as empresas “para o que der e vier”. “Não quero que a história da Sancris acabe, quero que continue porque temos pessoas engajadas e capacitadas para isso”, explica.

O empresário planeja, a partir do ano que vem, assumir a presidência do Conselho de Administração, formado por ele, Luiz Marcatti, e pelo irmão Ademir. Sapelli faz questão de ressaltar a importância do irmão como “um pilar essencial para as conquistas alcançadas, assim como todos os colaboradores”.

Quem herdará o desafio de manter o Grupo Sancris no caminho do sucesso será o filho dele, Vitor Fernando Sapelli. Exigente consigo mesmo e com os funcionários, Sapelli garante que Vitor, hoje vice-presidente, tem capacidade.

“O Vitor já tem participação ativa dentro da empresa, sempre com garra. Ele é capacitado para continuar a tocar a Sancris. Assim como eu, ele também acredita na força e união de todos os colaboradores”, afirma o empreendedor.

O desafio à frente de Vitor não é pequeno. O Grupo Sancris é formado por três empresas, com o mesmo nome: linhas e fios, tinturaria e zíperes. São centenas de funcionários que trabalham nos parques fabris.

Atualmente, a Sancris fabrica uma vasta gama de fios e linhas para costura. A variedade de produtos faz com que a empresa tenha diferencial em relação à concorrência. A fábrica de zíperes, por exemplo, coloca-a em evidência no cenário nacional e internacional, com milhares de clientes.

Apesar de estar forte no mercado, Sapelli quer mais. “Temos previsão de crescimento de 20% nas vendas deste ano em relação ao ano passado. Estamos fazendo o nosso trabalho, buscando novos conhecimentos, desenvolvendo novos produtos e novas tecnologias para o mercado”, diz o presidente.

Embora vá assumir a presidência do conselho, Sapelli não tem planos de parar ou de se desligar. Muito pelo contrário. Inquieto e com o espírito empreendedor, ele já está em busca de novos negócios, sem perder de vista a Sancris.

“Não penso em me aposentar de forma nenhuma. Não quero parar. O que eu estou fazendo é a governança da empresa, para que ela continue”, afirma Sapelli, em tom animado.

Já consolidado como um dos maiores empresários do Sul do Brasil, Sapelli passou o espírito empreendedor para os filhos. Todos têm alguma empresa. Cristina Helena Sapelli e Fernando Cesar Sapelli são sócios do irmão Vitor e do marido de Cristina, Ralf Macchio e Silva, na Ares Empreendimentos Imobiliários.

Além disso, os irmãos Sapelli tem uma empresa de comércio exterior, a Oceanside, e uma produtora, a Claraluz. Ele ressalta que todos os filhos, com seus respectivos conhecimentos, contribuíram para o crescimento da empresa. Cristina, por exemplo, ainda hoje tem papel importante na exportação da Sancris.


Experiência acumulada desde os 12 anos de idade

Ademar Sapelli trabalhou desde jovem. Com oito ou nove anos, costumava fazer pequenos serviços para conseguir dinheiro para os pais. Capinava, roçava e vendia picolés. O que aparecesse, ele e o irmão, Ademir, pegavam.

Em 1969, com 12 anos, conseguiu o primeiro emprego fixo, mas sem carteira assinada, no antigo supermercado Ristow. Até hoje, ele lembra com carinho dos ensinamentos que os mais velhos lhe davam.

Sempre atento, Sapelli guardou consigo o que ouviu e até hoje utiliza, garante. Com 14 anos, Sapelli entrou na Irmãos Fischer, indústria fundada por seus tios. Ele conta que seguiu o exemplo de respeito, comprometimento e empreendedorismo dos parentes.

Na indústria, passou por várias funções e teve a oportunidade como representante comercial da empresa no escritório de São Paulo. “Conheci muitas pessoas, empresários e de cada um tirei uma boa lição”, lembra.

Em São Paulo, passou no vestibular para a conceituada Universidade Mackenzie. Sem dinheiro para pagar as caras mensalidades, declinou da oportunidade. Mas buscou uma nova chance e se formou noutra instituição em Matemática.

Depois da Irmãos Fischer, mudou de ramo e foi para a Companhia Industrial Schlösser. Ali, pôde ter mais contato com o setor têxtil, na era de ouro do setor em Brusque, que vendia para todos os cantos do país. Foi um momento propício para agregar mais conhecimento de mercado.

Sapelli viajou pelo Brasil e pelo mundo e conheceu muita gente. Nesta época, manteve o espírito observador e continuou atento aos ensinamentos de quem sabia mais, diz. “O conhecimento é algo caro no mundo”, arremata.

O presidente da Sancris diz que o crescimento da indústria deve-se à colaboração de diversas pessoas. “Ao longo desses anos, busquei me associar a pessoas boas que quisessem somar comigo. Com o tempo consegui que meu sonho se tornasse o sonho delas também e juntos nós conseguimos fazer a empresa crescer”, diz.

O empresário faz questão de participar de entidades – como Hospital Azambuja e Associação Empresarial de Brusque (Acibr) – e de eventos, como uma forma de contribuir com a sociedade brusquense.


Grupo empresarial iniciou como distribuidora

“O mercado Ristow, a Irmãos Fischer e a Schlösser foram a minha base, sou muito grato até hoje pelas oportunidades que tive”, afirma. Em 1987, Sapelli pôs na prática tudo o que aprendeu por tantos anos. Viu que a logística das grandes empresas de fios era muito ruim na região de Brusque, que, à época, fervilhava com confecções e precisava de linhas e fios.

Foi assim que nasceu a Sancris: como uma distribuidora de produtos. Em 1991, a empresa foi ampliada e passou a fabricá-los, em vez de somente revendê-los. Daí em diante, não parou mais, e em 2002, surgiu a Sancris Tinturaria.

Dois anos depois, foi aberta a Sancris Zíperes. A empresa surgiu do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Cristina, filha de Sapelli, no curso de Comércio Exterior. Ela enxergou uma oportunidade no segmento e o pai apoiou. Assim nasceu a primeira empresa de zíperes com capital 100% brasileiro.

“Brusque também contou muito para o sucesso da empresa. As pessoas são guerreiras, e uma vez que abraçam um projeto, dão tudo de si”, afirma o empreendedor.

“Eu rodei muito pelo mundo e pelo Brasil, por ter sido representante comercial, por isso conheço muito. Mas sempre me volto para Brusque, que é onde estão minhas raízes e aquela herança de força de trabalho e de honestidade. Cada um de nós é empreendedor e sonhador”, afirma Sapelli.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980